Érico Leite, o fã de Saint-Exupéry, deixa o céu da Baía de Camamu

Escritor francês é festejado como um dos visitantes mais ilustres que já passaram em Campinho

Publicado sexta-feira, 08 de julho de 2022 às 05:10 h | Atualizado em 07/07/2022, 23:47 | Autor: Levi Vasconcelos
Érico Leite, a paixão pela aviação no rastro de Exupéry
Érico Leite, a paixão pela aviação no rastro de Exupéry -

Antoine-Marie-Roger de Saint-Exupéry, ou Saint-Exupéry, é o escritor francês autor de O Pequeno Príncipe. E é por isso que em Campinho, na Península de Maraú, banda sul da Baía de Camamu ele é festejado como um dos visitantes mais ilustres que já passaram por lá.

Exupéry era piloto do Correio Aéreo da França. Pousou em Campinho no início dos anos 40, deixou a marca da passagem numa mesa. Na banda norte da mesma Baía de Camamu, Querubim Leite era dono de uma vasta extensão de praia que ia do Pratigi até a Barra do Serinhaem, em Ituberá. O filho adotivo dele, Érico Leite, de tanto ver avião subir e descer, desde menino, se apaixonou por aviação. E fez de Exupéry, que morreu num acidente de avião na costa da África em 1944, aos 40 anos, o seu ídolo, não pela literatura, mas pela aviação. Érico, que foi prefeito de Ituberá duas vezes, morreu ontem aos 83 anos.

Gente boa —Luis Góes Teles, ex-prefeito de Valença, partilhava com ele e Martinho Fonseca, outro apaixonado por aviação, esses bons momentos, não raro tendo o empresário Norberto Odebrecht como um dos convivas: “Sabe o que é gente de fino trato? Era ele’’.

Conta Góes Teles que Érico nunca matou uma mosca, mas só andava com uma metralhadora no carro. Um dia, ele prefeito, foi avisado de que a Coelba estava cortando a luz da prefeitura por falta de pagamento.

— Foi a única vez que sacou a metralhadora, e disse pra o cara no poste: ‘Quer descer numa boa ou cair de vez?’.

Ele foi velado  em Ibuberá e será cremado hoje (10h) no Jardim da Saudade.

A tabela que não funciona

Embora tenha baixado um decreto obrigando postos de gasolina a botar tabelas com os preços com e sem impostos, Bolsonaro não resiste a um round no horário eleitoral, segundo jornalistas que trabalham na Alba. Explicação:

— Para ser correto ele deveria obrigar os postos a botar os preços do início do mandato dele e os de hoje.

2018 fechou com o preço da gasolina a R$ 1,50. Hoje, sem imposto, é R$ 6,70.

Marcelo Nilo, o  ex-deputado

Na Assembleia ontem deputados lembravam que Marcelo Nilo (Republicanos) já não mais assina como deputado nas redes sociais, apenas Marcelo. No complemento, duas coisas:

1 — Ele já abdicou das bases que mantinha no interior, carimbando o que diz, não quer mais ser deputado.

2 — Ou ele será o vice de ACM Neto ou fica sem mandato. O mesmo vale para Zé Ronaldo, ex-prefeito de Feira.

Tuka Rocha, o lado triste

 Foi no mesmo aeroporto que  Saint-Exupéry pousou que em novembro de 2019 caiu o avião do bilionário José João Abdalla Filho, matando cinco pessoas. 

A notícia ontem de que Abdalla foi condenado a pagar

 R$ 600 mil aos pais de Tuka Rocha, ex-piloto da Stock Car, uma das vítima, bateu forte em Barra Grande, na ponta da Península de Maraú, segundo Xexéu Meira, que anda lá:

— Exupéry é a boa lembrança, esse acidente a triste.

Na pesquisa Exame/Ideia quase tudo como antes

A pesquisa Exame/Ideia ontem divulgada sobre a disputa baiana animou o pessoal ligado a João Roma. Ele aparece com 9% na espontânea e 13%  na estimulada, com ACM Neto mantendo a liderança com 51% e Jerônimo com 18%.

Ainda na disputa do governo, quando a pergunta é ‘em quem você não votaria de jeito nenhum’, Jerônimo assume a ponta com 31%, João Roma em segundo com 18%, Kleber Rosa, do PSOL, e ACM Neto ficam em 12%

O detalhe curioso vem na espontânea para o Senado: a médica Raíssa Soares, bolsonarista, do PL, aparece na liderança com 6%, contra 5% de Otto Alencar e 0,3% de Cacá Leão. Na estimulada o cenário muda: Otto 22%, Cacá 13 e Raíssa 11. 

Publicações relacionadas