Menu
Pesquisa
Pesquisa
Busca interna do iBahia
HOME > colunistas > LEVI VASCONCELOS
COLUNA

Levi Vasconcelos

Por Levi Vasconcelos

ACERVO DA COLUNA
Publicado Sunday, 13 de August de 2023 às 5:20 h | Autor:

Leão quer passar o controle dos rios para o Exército, como nos EUA

Confira a coluna de Levi Vasconcelos deste domingo

Ouvir Compartilhar no Whatsapp Compartilhar no Facebook Compartilhar no X Compartilhar no Email
Deputado federal João Leão (PP)
Deputado federal João Leão (PP) -

Depois de entrar na mídia nacional por ter mandado arquivar o processo em que a colega Carla Zambelli (PL-SP) teria mandado outro colega ir “tomar no ...”, o deputado federal João Leão (PP) quer voltar. Tem no gatilho um projeto de lei que passa para o Exército o controle dos rios brasileiros.

— Não tem nada de excepcional nisso. Nos EUA sempre foi assim e eu acho correto. Água é realmente uma questão de segurança nacional.

Mas Leão, que nasceu em Recife, mas se criou em Barra, no oeste baiano, às margens do São Francisco, o u Velho Chico, como chamam, diz estar conversando muito e acumulando informações, porque a coisa não é tão simples.

Na Bahia —Ele afirma que o próprio Exército terá que se estruturar para cumprir tão vasta missão:

— Temos muitos rios . Só na Bahia são 68 de grande e médio porte. No São Francisco desaguam 11, como o Rio Corrente, o Carinhanha, o Rio Itapicuru, o Paramirim, sem falar nos subsidiários importantes, como o Rio de Ondas (Barreiras), que desagua no Rio Grande.

— Confesso que apesar das muitas queixas sobre o Velho Chico desde que me entendo por gente vejo ele do mesmo jeito, mas chegou a hora de mudar.

Leão, que em meados de 2000 chamou o Exército para derrubar e reconstruir mais de duas mil casas de 13 povoados no entorno de Barra, o chamado Brejos da Barra, diz que no caso a área tinha a maior incidência de Doença de Chagas do Brasil.

— Botamos o Exército na guerra contra o barbeiro. E ganhamos bonito.

Cremeb vai às urnas amanhã e terça numa briga por mudança

O Conselho Regional de Medicina da Bahia (Cremeb), a instituição que zela pela ética médica, vai começar a semana em ebulição.

Amanhã e terça os 45 mil médicos lá registrados vão escolher entre a Chapa 1 liderada pelo médico Jessé Brandão, e a Chapa 2, pela médica Janaína Lordelo, com o tempero do grupo auto-intitulado Médicos pela Democracia, que está pregando o voto nulo.

Janaína, da Chapa 2, diz que o grupo que governa o Cremeb está lá há 30 anos.

— Acreditamos que está na hora de mudar. E a atual diretoria se desconectou também dos jovens e do interior.

Ela diz que dos 45 mil médicos da Bahia 25 mil entraram nos últimos cinco anos, consequência do grande número de faculdades de medicina.

— Esse é o foco, atrair os jovens e saber onde isso vai parar. Não creio que voto nulo caiba nesse contexto.

O discurso do roubo pouco

Ao ver a oposição batendo no fato da Secretaria de Administração do Estado da Bahia (Saeb) ter permitido a presença de mortos na folha de pessoal (com os respectivos pagamentos), um deputado governista na Alba cochichou com uma pessoa ao lado:

‘A oposição está mesmo sem discurso. Eles sabem que quem está no governo tem maneiras de afanar muito mais fáceis, seguras e lucrativas do que receber em nome de morto'.

Samuel Jr, o único que foi votado nos quatro cantos

Evangélico ligado à Assembleia de Deus, o deputado estadual Samuel Jr (Republicanos) ostenta uma condição única entre os seus 62 colegas, produzida pelas eleições do ano passado: recebeu votos rigorosamente em todos os 417 municípios da Bahia.Ele teve, no total, 98.914 votos, a maior parte, ou 15.686, em Salvador. As menores são, pela ordem, Gavião (7), Elísio Medrado (8) e Quixabeira (9). Daí em diante todos foram mais de 10. Samuel credita o feito ao apoio que teve do pastor Valdomiro Pereira, o presidente estadual da Convenção da Assembleia.— Mas não tenha dúvida que isso é motivo de orgulho. Ser único nisso é muito bom.

Compartilhe essa notícia com seus amigos

Compartilhar no Email Compartilhar no X Compartilhar no Facebook Compartilhar no Whatsapp

Assine a newsletter e receba conteúdos da coluna O Carrasco