TJ condena Tati Moreno no caso da sereia que é de Juarez Paraíso

Publicado quarta-feira, 01 de setembro de 2021 às 06:03 h | Atualizado em 31/08/2021, 22:31 | Autor: [email protected]

Lembra aquela história em que o artista plástico Juarez Paraíso, hoje um dos imortais da Academia de Letras da Bahia (ALB), acusou o também artista Tati Moreno de ter lhe surrupiado a autoria da sereia, ou uma Iemanjá, que adorna o lago do entorno do Condomínio Parque Interlagos, em Areias, litoral de Camaçari?

A história teve um princípio de fim ontem e não foi bom para Tati. Por unanimidade, ou 3 a 0, a 2ª Câmara Cível do TJ o condenou em três linhas principais:

1 - Pagar R$ 100 mil por danos morais, mais danos patrimoniais a serem arbitrados em liquidação de sentença.

2 - Suprimir do livro A arte de Tati Moreno as páginas 158 e 159, que tratam da obra como se fosse dele.

3 - Publicar três vezes em jornal de grande circulação texto dizendo que a obra lá é de Juarez, não dele.

4 - Botar placa indicativa do autor na obra.

Piorou — O TJ na real ampliou a sentença da juíza Ana Karena Nobre, da 9ª Vara Cível, acrescentando os danos patrimoniais.

Tati Moreno, a quem se atribui a autoria dos orixás do Dique do Tororó, sempre se disse autor da obra, o que surpreendeu Juarez. Um dia, ao tentar fotografá-la, foi brecado: ‘Só com autorização do autor’. Tomou um susto: ‘Como, se o autor sou eu’. Resposta: ‘Não. É Tati’.

O advogado Rodrigo Moraes, especialista em direitos autorais, que trabalhou para Juarez, diz que o respeito ao direito autoral triunfou.

Rui vai ver o Porto Sul

Rui Costa, o secretário Marcus Cavalcante (Infraestrutura) e mais um time – entre eles a deputada Ivana Bastos (PSD) e o deputado Rosemberg Pinto (PT) – visitam hoje as obras do Porto Sul, em Ilhéus, em construção pela Bamin.

Vão a convite do CEO da empresa, Eduardo Ledsham, que sexta estará em Tanhaçu com Bolsonaro assinando o contrato para a conclusão da Fiol, que conecta com o Porto Sul.

Aliás, o porto e a Fiol são obras que não têm oposição.

Em Feira, o fundo do poço

Fernando Torres (PSD), presidente da Câmara de Feira de Santana, em discurso ontem na tribuna, atribuiu ao prefeito Colbert Martins (MDB) as notícias sobre acusações contra ele que teriam sido plantadas em dois blogs pilotados por ‘um cachaceiro e outro estuprador’.

Não citou nomes, acabou atingindo toda a imprensa. Dizem lá que nem tanto pelo ‘cachaceiro’, mas acusação de estupro é crime grave e ele deve dizer quem é.

São Francisco, novo natalício

A Câmara de São Francisco do Conde aprovou ontem projeto do vereador Marivaldo do Amaral (PT) que muda a data de emancipação do município. Agora vale 27 de novembro de 1697, quando foi desmembrado de Salvador, pelo qual a idade é de 324 anos. Até este ano, valeu 30 de março de 1938, data da emancipação, pelo qual a idade é 83 anos. O radialista Átila Santana, arauto da causa, se diz feliz:

– Esse equívoco é um desserviço à nossa cultura.

Em Camacan, os bandidos estragam festa dos 60 anos

Camacan, o maior produtor de cacau da Bahia nos bons tempos da cacauicultura, muito brigou para virar cidade, livrando-se do descaso de Canavieiras. Ontem, faria 60 anos de emancipação, e o prefeito Paulo César Oliveira, ou Paulo do Gás (Pode), como chamam, até receberia uma boa notícia, o anúncio de que o governo faria a reforma do Ginásio de Esportes lá, um ponto muito frequentado pela população, mas os bandidos que explodiram a agência da Caixa estragaram a festa.

O deputado Rosemberg Pinto (PT), amigo do prefeito, diz não ter dúvida do momento ruim.

– Há o ginásio e outras obras, mas não tenha dúvida de que a força da agressão abafou a festa.

Dizem lá que, pela forma, o ataque foi obra do Novo Cangaço, grupo financiado pelo tráfico.

REGISTROS

Tirando o atraso

Ansiosos pela retomada do velho normal, hotéis, bares e restaurantes de Morro de São Paulo e Boipeba, as vedetes das ilhas de Cairu, esperam pelo Festival Gastronômico, de 15 a 31. Dia 16, um sábado, Tatau abre o evento na fortaleza do Morro, tudo dentro dos protocolos.

Velho natalício

No mesmo pique, a retomada do velho normal, Lençóis, na Chapada, outro grande point turístico baiano, reabriu no fim de semana o seu tradicional Mercado Cultural, com uma feira de artesanato. Foi tanta alegria que até parecia coisa nova.

No Pratigi

Já na Praia do Pratigi, em Ituberá, um pouco mais ao sul, vai acontecer dia 12 a 1ª Caminhada e Corrida Ecológica Pratigi Sustentável, com percursos de trilhas de 7, 10 e 20 km, a gosto. Detalhe: os organizadores aceitam no máximo 100 pessoas.

Em recuperação

E por falar em idas e vindas, o Fórum das Operadoras Hoteleiras do Brasil acaba de divulgar que julho deste ano foi 19,4% melhor que o do ano passado. A região com melhor desempenho no país foi o Nordeste, 40% a mais.

Publicações relacionadas