Dano na ponte serve de alerta a usuários

Precariedade na manutenção das vias férreas deixaram em alerta os usuários dos trens na Bahia

Publicado quinta-feira, 23 de junho de 2022 às 00:00 h | Atualizado em 23/06/2022, 00:12 | Autor: Da Redação, com Miriam Hermes
Ponte Dom Pedro II, localizada entre Cachoeira e São Félix
Ponte Dom Pedro II, localizada entre Cachoeira e São Félix -

Os danos registrados na ponte D. Pedro II, meio de ligação entre a Cidade Heróica de Cachoeira e sua vizinha São Félix, deixaram em alerta os usuários dos trens na Bahia, devido à precariedade na manutenção das vias férreas.

O equipamento, tombado pelos Institutos do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac) e do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), ficou impossibilitado de viabilizar o transporte de pessoas e escoamento da produção.

O sintoma de descuido por parte dos gestores da concessão de funcionamento do modal levou a Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM) a manifestar-se em ofício junto ao ministro da Infraestrutura, Marcelo Sampaio Cunha Filho.

– Espera-se que o Minfra posicione-se na defesa dos interesses dos Estados por onde os trens devem trafegar com o mesmo ‘entusiasmo’ demonstrado quando observou a inadequação dos serviços prestados na Rodovia Federal BR-324,  cuja intervenção imediata foi defendida pelo então ministro Tarcísio de Freitas, sob o argumento que esta ‘faz deboche’ com o povo baiano – declarou o presidente da CBPM, Antonio Carlos Marcial Tramm, distinguindo-se aqui o substantivo "deboche" no sentido de escracho em relação ao apreciado gênero musical criado por Luiz Caldas.

O ofício, copiado para a Agência Nacional de Transportes (ANTT), ressalta uma coleção anterior de documentos similares enviados às autoridades federais, sem nenhuma medida ter sido efetivada, até então.

Estes e outros eventos, como furtos de trilhos e a gradativa desmobilização da infraestrutura ferroviária também foram denunciados pela CBPM, na condição de defensora da mineração, amplamente prejudicada pelos problemas de logísticas.

Feira lançará robô-drone

Avança a humanidade quando consegue unir a tecnologia ao bem-estar geral, a verificar na utilização de um robô-drone dotado de sistema capaz de repor mais rápido os produtos em estoque na 11ª SuperBahia. Trata-se de uma das inovações anunciadas para a próxima edição desta feira de supermercados, atacados e distribuidores, entre 12 e 14 de julho, no Centro de Convenções situado no bairro da Boca do Rio. O encontro com o tema “Conheça o Varejo do Futuro”, deve reunir mais de 100 expositores.

– Este equipamento utiliza um scanner que faz a conferência do estoque de produtos de forma mais rápida e assertiva – explicou o superintendente da Associação Bahiana de Supermercados (Abase) e um dos organizadores do SuperBahia, Mauro Rocha.

POUCAS & BOAS

- A 1ª Feira Junina de Agricultura Familiar e Economia Solidária de Alagoinhas movimenta a cidade hoje  no bairro Jardim das Hortências, em paralelo à segunda edição do projeto Mais Cidadania. Além de divulgar e comercializar os produtos dos agricultores familiares do município, a iniciativa oferecerá oficinas, serviços e distribuição de kits com guloseimas juninas para a criançada. A iniciativa é da Associação dos Feirantes da Agricultura Familiar e Economia Solidária de Alagoinhas em parceria com a Bracell Bahia.

- ‘Santos Juninos’ é o tema da festa que começa hoje em Mata de São João, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), com toda sua estrutura montada na praça Amado Bahia, onde se apresentam diversas atrações musicais e quadrilhas juninas. Com concentração no Parque da Cidade, os desfiles de blocos juninos como o Arrastinho, amanhã e o Espantalho, dia 26, são tradicionais na localidade, que encerra a festa no próximo domingo (26). Na Praia do Forte e Imbassaí os festejos também começam hoje e se estendem até o próximo sábado (25).

- Termina hoje  a novena preparatória para a comemoração do padroeiro de Barreiras, São João Batista, que desde o dia 15 de junho reúne devotos nas missas diárias, seguidas de quermesse na praça dedicada ao santo em frente à catedral. Com a participação de diversos grupos de paroquianos do munício do extremo oeste baiano, este ano os recursos arrecadados com a tradicional venda dos produtos típicos juninos serão utilizados na pintura da igreja.

Publicações relacionadas