Ialorixá e sociólogo disputam ouvidoria | A TARDE
Atarde > colunistas > Tempo Presente

Ialorixá e sociólogo disputam ouvidoria

Votação eletrônica para eleição de uma lista tríplice será dia 14 de abril

Publicado sábado, 25 de março de 2023 às 00:30 h | Autor: Da Redação, com Miriam Hermes
Ialorixá Márcia de Ogum e o sociólogo Ailton Ferreira
Ialorixá Márcia de Ogum e o sociólogo Ailton Ferreira -

A ialorixá Márcia de Ogum e o sociólogo Ailton Ferreira, uma dupla de ativistas e docentes, fazem o possível “clássico” para decidir quem responderá pela ouvidoria-geral da Defensoria Pública do Estado da Bahia no biênio 2023/2025. A votação eletrônica para eleição de uma lista tríplice será dia 14 de abril e o eleitorado é indicado por instituições da sociedade civil.

Líder religiosa do terreiro Ilê Axé Olodumare, de tradição ijexá, em Areia Branca, Lauro de Freitas, Márcia foi recentemente contemplada com a medalha Zumbi dos Palmares, como reconhecimento pelo seu trabalho social.

Márcia lembrou o ineditismo de ser a primeira mulher negra ialorixá a se candidatar ao cargo.

- Tenho compromisso com as lutas pautadas na coletividade e entendimento das mazelas sofridas pelas populações vulnerabilizadas, tenho caminhos abertos por meu pai Ogum, seguindo firme os passos da minha ancestralidade”, afirmou a candidata,  professora pós-graduada em metodologia do ensino superior.

Já o educador Ailton Ferreira lembrou ser a defensoria uma conquista da sociedade civil, a partir da Constituição de 1988, atendendo principalmente empobrecidos.

Ferreira é ativista com participação na federação de bairros de Salvador, de movimentos negros, conselhos de direitos humanos, e atual coordenador do Instituto Reparação.

- Ser ouvidor requer sobretudo experiência, sensibilidade, competência técnica, competência comportamental, saber lidar com gente, saber ouvir, humildade e compromisso com a causa provada na minha vida. Uma das exigências é ter uma vida associada às lutas populares, como tem sido minha vida há 42 anos”, disse o candidato.

Corrida da Advocacia

Chegou o grande dia da Corrida da Advocacia, na quinta edição, com 10 milhas e duas largadas simultâneas, às 6h de amanhã - portanto, nada de esticar a noitada de sábado. De acordo com a Caixa de Assistência dos Advogados da Bahia (CAAB), organizadora da prova, serão duas largadas, uma no Rio Vermelho e outra na avenida Contorno, e uma só chegada, na Ponta de Humaitá. Espera-se a participação de pelo menos 3 mil atletas, de final de semana ou não, entre as quais, um sem-número de advogadas e advogados, razão de ser da corrida capaz de atrair até gente de outros municípios e estados vizinhos.

POUCAS & BOAS

- O 1º Encontro de Contação de História movimenta hoje a Cozinha Mangalô, no Vale do Capão, município de Palmeiras, com o livro ‘Martin Luther King e Rosa Parks, Unidos pela igualdade’. Com início às 14h, o evento será marcado pela história lúdica e revolucionária entre duas pessoas que fizeram história nas lutas pelos direitos civis e liberdade dos negros dos Estados Unidos, com reflexos também em outras partes do planeta. O encontro marca a passagem do dia do Contador de História, comemorado dia 20 de março.

- Em Alagoinhas acontece hoje a ação Pimpex, que movimenta a  Cooperativa de Catadores e Recicladores de Alagoinhas (Coral), com uma oficina para reforma das carroças, palestras educativas sobre o meio ambiente e economia circular, entre outras atividades. Desenvolvida pela ONG Pimp My Carroça, a tecnologia Pimpex surgiu do movimento com atuação desde 2012 na luta por mais visibilidade e geração de renda de catadores de materiais recicláveis por meio da arte. A iniciativa é da Ardagh Metal Packaging (AMP), fábrica de produtos de embalagens instalada no município.

- Os festejos pelos 183 anos de emancipação política de Santa Rita de Cássia tiveram início ontem e prosseguem hoje com apresentações culturais e artísticas, seguidas de show com Toinho & Cia e da Banda Evolução. Amanhã, dia oficial do aniversário, tem missa, grupo de Chegança e shows. Localizado na região Oeste, o município faz divisa com o estado do Piauí, e é banhado pelo rio Preto, por cujas águas chegaram os primeiros habitantes em busca de terras para a criação de gado.

Publicações relacionadas