Medidas paliativas socorrem empresas

Publicado quinta-feira, 13 de janeiro de 2022 às 06:03 h | Atualizado em 12/01/2022, 23:42 | Autor: Da Redação, com Miriam Hermes | [email protected]

O Sebrae-Bahia avaliou como positivos o apoio emergencial aos micro e pequenos empresários com inscrição na dívida ativa e a prorrogação do prazo para adesão ao Simples, duas iniciativas do governo federal para evitar maiores prejuízos, depois do veto da Presidência da República ao programa de reescalonamento do pagamento de débitos proposto pelo Congresso. Com a dificuldade em honrar os compromissos, considerando os prejuízos e redução de capital circulante durante estes 21 meses de pandemia, os empreendedores ficaram ameaçados de perder seus bens ou sofrer penhora e até mesmo irem à falência, mas quem estiver nesta situação extrema terá o socorro graças à medida-tampão. 

Também há a necessidade de ampliar o prazo em relação ao Simples, antes previsto para dia 31 deste mês, pois como os parlamentares só voltarão ao trabalho em fevereiro, não teriam tempo os micro e empresários de pactuar suas dívidas, caso o veto ao programa de reescalonamento, chamado Relp, seja derrubado pelo Congresso, como se espera. 

–O Sebrae vai conduzir, nacionalmente, a mobilização junto aos parlamentares para a discussão sobre o programa - disse o gerente de Unidade de projetos especiais, mercados e internacionalização do Sebrae-Bahia, Vitor Lopes. 

Parcelamento – São 350 mil pequenos empreendedores aguardando a derrubada do veto da Presidência da República, permitindo o parcelamento de um montante máximo de R$ 50 bilhões em dívidas, além de viabilizar descontos em multas e juros. O programa Relp foi avaliado pelos congressistas como necessário para evitar a falência em série de micro e pequenas empresas, com impacto social negativo.

Nenhum vírus que mata pessoas é bem-vindo, especialmente quando há indivíduos sofrendo. (...) Não é hora de ceder. Não é hora de declarar que este [a variante ômicron] é um vírus bem-vindo Michael Ryan, diretor de emergências da OMS, após fala de Bolsonaro de que a ômicron seria “bem-vinda”,
 

Curso de férias

Estão abertas as inscrições para o curso de férias “A primavera silenciosa”, programado por pesquisadoras de gênero da Universidade Federal da Bahia (Ufba) para o período entre 19 de janeiro e 23 de fevereiro, com a proposta de debater questões atuais relacionadas ao meio ambiente no contexto brasileiro. Quem quiser participar, seja estudante da Ufba ou não, basta pedir pelo e-mail [email protected] Tendo como método os debates sobre o livro Silent Springer, da cientista e escritora dos Estados Unidos, Rachel Carson, publicado em 1962, o curso de férias será conduzido todo em ambiente digital. 

A escritora Rachel Carson ficou conhecida por seu ativismo visando buscar argumentos fortes para a proteção ao meio ambiente nos Estados Unidos.

Níveis de água elevados

A elevação dos níveis dos reservatórios e aumento da água liberada nas comportas das principais barragens preocupa moradores ribeirinhos do rio São Francisco em todo seu percurso dentro da Bahia. Em Juazeiro, município situado logo abaixo do lago de Sobradinho, uma reunião foi realizada ontem por iniciativa da gestão local para traçar um plano preventivo, considerando que nesta quarta-feira a Chesf começou a liberação gradativa de água que passará de 1,3 mil metros cúbicos por segundo (m³/s) para 4 mil m³/s até o dia 24 de janeiro na defluência do reservatório. Em Juazeiro e outras localidades ao longo do Velho Chico, moradores estão sendo orientados a retirar seus bens móveis e buscar abrigo em lugares mais altos, pois o rio já está mais de 8 metros acima do nível normal, com tendência de subir nos próximos dias. 

POUCAS & BOAS

Em Alagoinhas começa hoje a realização do Censo Socioeconômico Rural a partir de uma iniciativa da Secretaria de Agricultura local. O trabalho inédito terá início às 8h na Associação de Cangula e nas próximas semanas deverá chegar às demais 63 comunidades rurais do município. Os dados coletados servirão de base para a elaboração do Plano Municipal para a Agricultura Familiar. 

Cotonicultores ligados à Associação Baiana dos Produtores de Algodão  (Abapa) doaram ontem 1 mil lençóis e 800 toalhas de banho, 100% algodão, que serão entregues para famílias atingidas pelas enchentes no estado. A iniciativa atendeu solicitação da Secretaria Estadual de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) para campanha desenvolvida pelo governo estadual. 

Publicações relacionadas