Negócios acolhem cultos religiosos | A TARDE
Atarde > Colunistas > Tempo Presente

Negócios acolhem cultos religiosos

Confira a coluna Tempo Presente

Publicado quinta-feira, 14 de março de 2024 às 00:00 h | Autor: Tempo Presente
Imagem ilustrativa da imagem Negócios acolhem cultos religiosos
-

Candomblés de nações diversas, igrejas seculares de formatos e relações com ordens religiosas variadas, tendas rastafaris, entre outros cultos, compõem um cardápio variado – e pouco aproveitado – pelos hoteleiros e guias turísticos.

Esta é a pauta de capa da edição número 224 da Revista Conexão, publicação digital orientada para ajudar as empresas a prosperar nos seus negócios.

Disponível em ambiente digital, Conexão traz como destaque “Bahia para todas as crenças e bons negócios”, destacando a transformação de roteiros turísticos católicos a partir da canonização de Santa Dulce dos Pobres.

Uma segunda santa – já considerada oficialmente “Serva de Deus” – , Madre Verônica da Encarnação, pode vir a ampliar a presença de visitantes, ao fortalecer a imagem de Salvador como a capital preferencial para cultos religiosos.

Embora a própria religião tenha seus cânones restritivos aos pecados da gula e da ganância, os roteiros se baseiam em três eixos já definidos: arte e fé; caridade e fé; e conventos e mosteiros.

Em relação às casas de candomblé, os cuidados relacionam-se aos segredos guardados por obrigação aos encantados, pois a força (asé) está no sigilo, mas há como produzir visitas guiadas.

A variedade de nações, cada qual com sua indumentária e gastronomia, voltada inicialmente para os voduns e orixás, também pode contribuir para os terreiros ampliarem fontes de renda e subsistência.

Editada pela equipe de profissionais do Sebrae-Ba, Conexão oferece ainda a leitura de histórias de empresários com base em planejamento e criatividade, como são os exemplos de reportagens em cidades do interior do Estado.

Luta contra a dengue

A realização de concurso público para contratar, sem demora, agentes de combate às endemias em todos os 27 territórios regionais baianos é o pedido do Conselho Estadual de Saúde da Bahia divulgado ontem.

A recomendação se sustenta nos indicadores de ampliação da crise, acrescentando-se a sugestão de aumento no expediente das unidades básicas de saúde em todo o Estado.

As duas diretrizes foram aprovadas após a realização da reunião ordinária número 54 do órgão, tida como um dos mais participativos nos cuidados com a cidadania.

Publicações relacionadas