Sesi faz testes em massa contra a Covid

Publicado terça-feira, 16 de junho de 2020 às 06:00 h | Atualizado em 15/06/2020, 23:10 | Autor: Miriam Hermes e Redação

A testagem em massa de cidadãos, como forma de isolar os contaminados para tratamento imediato, tem sido uma das estratégias eficientes em países capazes de controlar o contágio, como é o melhor exemplo da Coreia do Sul, na Ásia.

Na Bahia, uma boa contribuição, com esta perspectiva, partiu do Serviço Social da Indústria (Sesi), ao iniciar a aplicação de testes de detecção de anticorpos contra o coronavírus.

Ao todo, nesta etapa, realizada em parceria com laboratório de análises clínicas, serão 50 mil trabalhadores de indústrias da Bahia a submeterem-se aos testes de Covid-19, tanto o rápido quanto o exame indicado para diagnóstico em pessoas sintomáticas.

A realização dos testes rápidos em massa é recomendada para a tomada de decisão dos gestores no planejamento das ações para enfrentamento da pandemia, de acordo com a Organização Mundial da Saúde.

Sem controle – No Brasil, no entanto, a recomendação foi flexibilizada e ficou sem controle de um órgão central a iniciativa de aplicar e gerenciar o monitoramento das testagens, depois de distribuídos os kits-testes aos estados.

– O Sesi tem apoiado as empresas na implementação de protocolos de prevenção ao contágio e à disseminação do vírus. E, neste cenário de pandemia, o teste rápido é um instrumento estratégico para os gestores atuarem de forma preventiva – ressalta o gerente-executivo de Saúde e Segurança na Indústria do Sesi Bahia, Amélio Miranda.

O teste rápido torna-se importante também para identificar essas pessoas contaminadas, mas de imunidade forte o suficiente para não desenvolver os sintomas da doença, de acordo com a estratégia do Sesi.

Ele estava representando a si próprio. Como tudo o que acontece cai no meu colo, é um problema que estamos tentando solucionar com o senhor Abraham Weintraub

Proteção animal

Ativistas baianos ligados ao Fórum de Proteção e Defesa Animal estão mobilizando os recursos de internet para atrair mais seguidores da campanha internacional contra a prática de exportação de espécimes vivos pelos portos brasileiros.

O Brasil exporta gado bovino e outras espécies para países do oriente médio, onde é realizado um ritual religioso com animais vivos, nos quais é realizada a jugulação cruenta, chamada de decapitação, sem insensibilização da vítima.

Para ganharem mais dinheiro, a cada viagem, os fregueses embarcam os bois tão próximos uns dos outros que eles não conseguem sequer dormir. Os mais sensíveis ao sofrimento precisam ser atirados ao mar, pois não suportam o efeito do desconforto.

Recursos contra a Covid-19

O Poder Judiciário da Bahia (PJBA), em esforço para contribuir no combate ao novo coronavírus e diminuir os danos causados pela pandemia, repassou, até o momento, mais de R$ 1,6 milhão para ações de enfrentamento à Covid-19. O valor arrecadado é oriundo do cumprimento de pena de prestação pecuniária, transação penal e suspensão condicional do processo nas ações criminais, no período entre 30 de março e 12 de junho deste ano. Os recursos serão utilizados na compra de materiais e equipamentos médicos utilizados pelos profissionais da saúde, que estão na linha de frente do combate ao vírus.

Publicações relacionadas