adblock ativo

Wagner bate de frente com diretório do PT

Publicado segunda-feira, 01 de junho de 2015 às 14:51 h | Atualizado em 01/06/2015, 14:51 | Autor: Com Levi Vasconcelos l [email protected]
Charge Jaques Wagner
Charge Jaques Wagner -
adblock ativo

A direção nacional do PT baixou uma resolução impedindo o recebimento de doações empresariais feitas aos diretórios do partido. Isso aconteceu em 17 de abril.

Pouco mais de um mês depois, os deputados federais aprovaram a proposta do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), de legalizar as doações para diretórios. Ainda falta votar o segundo turno da proposta na própria Câmara e depois no Senado.

O ministro da Defesa, Jaques Wagner (PT), foi incisivo no contraponto à iniciativa da direção do partido. Disse, no Congresso Estadual do partido, que não existe isso de o partido querer mostrar para os outros que é melhor recusando uma regra colocada.

Wagner defendeu que as bancadas da Câmara e do Senado  tentem derrubar a legalização das doações, mas se a regra passar, deve ser acatada.

Ou seja, o PT é contra o financiamento privado, mas se todos os outros puderem receber, os petistas sabem que serão prejudicados. Portanto, jogará conforme a regra.

Voto com o relator —Rui Costa concordou ipsis litteris com o seu antecessor. Utilizando as metáforas esportivas que vem se esforçando para consolidar,  disse que a aprovação do financiamento pode deixar os eleitos como pilotos de fórmula 1.

— Vão colocar aqueles macacões cheios de logomarcas dos investidores.

No entanto, assim como o ministro da Defesa, Rui Costa defendeu que, se a regra for a de financiamento, o PT não pode "entrar num jogo e se recusar a bater  pênalti".

Ou seja, se pode, pode, e não vamos recusar a ajuda de ninguém.

Últimas contas

A conselheira do Tribunal de Contas do Estado, Carolina Costa, apresenta o relatório das contas de 2014 do governador Jaques Wagner amanhã. Embora não haja informações a respeito do voto da conselheira, o que se espera é a aprovação das contas. No entanto, engana-se quem pensa que não haverá mácula nos balanços administrativos. A expectativa é que recomendações e, talvez, ressalvas estejam presentes no relatório, fruto de equívocos apontados em outras contas que não foram corrigidos.

Sem liga

A deputada federal e virtual candidata à prefeitura de Lauro de Freitas, Moema Gramacho (PT), foi enfática ao negar qualquer possibilidade de aliança com o atual prefeito Marcio Paiva (PP). Marcio deve disputar a reeleição e chegou a ventilar que havia a possibilidade de unificar o campo aliado no plano estadual.

— Ele deve estar louco e querendo muito isso (união). Mas não existe nenhuma possibilidade disso acontecer.

Regulamentação que não sai

O deputado estadual Adolfo Viana (PSDB) cobra do governador Rui Costa (PT) a regulamentação da lei que concede descontos de 50% em eventos culturais e artísticos para doadores regulares de sangue. O projeto foi aprovado pela Assembleia em junho do ano passado. Depois de um ano, não há ainda nenhum sinalização. O deputado acredita que se trata da velha perseguição política.

Falta sangue —  Vale ressaltar que o único tipo sanguíneo em quantidade estável nos bancos de sangue do Hemoba é AB+. Todos os outros estão em estado crítico. A necessidade existe, resta saber se este é o caminho para melhorar.

Sobre royalties e terras

Os prefeitos de Catu, Geranilson Requião (PT) e de Pojuca, Antônio Jorge (PDT), chegaram a um acordo para modificar as divisas entre os municípios.

Os dois só esqueceram de informar aos vereadores das duas cidades. Avisados, pela ex-deputada estadual Maria Luiza Laudano, 11 dos 13  edis de Pojuca foram até a  Assembleia e desfizeram o pacto.

Isso porque atualmente Pojuca fica com todos os royalties da exploração dos poços de gás, e os vereadores não estão dispostos a dividir o bolo.

POUCAS & BOAS

O PT está promovendo uma "caça às bruxas" dentro do partido. Desde a expulsão de Henrique Carballal, o diretório de Salvador tem se mantido atento a atos que podem suscitar a infidelidade partidária. Prova disso foi dada durante a votação da mudança do cálculo da outorga onerosa na Câmara Municipal na última quarta. Quando o vereador Arnando Lessa começou o pronunciamento, Vânia Galvão pegou o celular e se pôs a gravar. O discurso de Lessa ficou no script, mas se saísse daria problema.

Sobre a nota "Herança pouco dita" publicada na semana passada, a secretaria de Desenvolvimento Social diz que não há repasse de recursos do governo do estado para as prefeituras municipais no que se refere à execução dos Programas de Aquisição de Alimentos e Leite e, portanto, não há dívida de R$ 16 milhões como havíamos noticiado. O problema é que os prefeitos afirmam que estão pagando uma conta que não é deles.

O ex-ministro de Economia e Planejamento de Cuba José Luís Rodríguez García estará em Salvador hoje, às 19h, para uma palestra no auditório do Centro Cultural da Câmara. O evento, organizado pela vereadora Vânia Galvão, tem como tema: o modelo econômico atual em Cuba e suas perspectivas após a normalização das relações com os Estado Unidos.

Os deputados estaduais que compõem a comissão especial da Fiol farão uma audiência pública em Ilhéus neste mês. Apenas 28,95% das obras do lote 1 da ferrovia (Itagiba à Ilhéus) está concluído, e a ideia é intensificar as ações. No total dos sete lotes, o sexto é o pior com apenas 2,29%. O trecho engloba as cidades de Serra do Ramalho e Santa Maria da Vitória, além de outros seis municípios. A expectativa continua grande.

Ao que parece, as divergências entre a prefeitura e o governo para liberação do alvará de construção da linha 2 do metrô de Salvador foram sanadas. O governo apresentou um plano para minimizar os transtornos no trânsito na região de Pernambués. Agora falta o documento sair.

adblock ativo

Publicações relacionadas