61 viajantes da África do Sul testam positivo para Covid ao chegarem à Holanda

Publicado sábado, 27 de novembro de 2021 às 09:44 h | Atualizado em 27/11/2021, 09:49 | Autor: Da Redação

As autoridades de saúde da Holanda anunciaram que 61 pessoas que chegaram ao país em dois voos vindos da África do Sul, na sexta-feira, 26, testaram positivo para a Covid-19. Ainda não se sabe se os passageiros foram infectados com a variante ômicron do coronavírus.

"Sabemos que 61 dos testes são positivos e 531 negativos", disse a Autoridade Sanitária Holandesa (GGD) em nota, explicando que as pessoas que deram positivo estão em quarentena em um hotel próximo ao aeroporto.

"Os resultados positivos serão examinados rapidamente para ver se estão relacionados com a nova e preocupante variante, chamada ômicron", disse o comunicado. Todos vão passar por testes neste sábado, 27.

Todos os passageiros que deram positivo devem estar em quarentena no hotel ao menos por sete dias se tiverem sintomas ou cinco dias se forem assintomáticos, segundo a GGD.

Os passageiros que não deram positivo, mas vivem na Holanda, terão que se isolar em casa e os que não residem neste país poderão continuar sua viagem.

O governo holandês proibiu todas as viagens aéreas do sul da África na manhã de sexta-feira. No entanto, dois voos da KLM, com cerca de 600 passageiros, chegaram a desembarcar em Amsterdã. Os passageiros que já estavam a caminho da Holanda foram obrigados a fazer testes e quarentena na chegada ao país.

Na sexta, a Bélgica detectou um caso de infecção por Covid-19 ligado à variante ômicron do coronavírus, sendo a primeira vez que a nova variante foi encontrada na Europa.

A variante preocupa pois tem 50 mutações, algo nunca visto antes, sendo mais de 30 na proteína S (spike), que o vírus utiliza para se acoplar às células, alvo da maioria das vacinas disponíveis.

Ainda não há casos da nova variante ômicron registrados no Brasil. Após impasses envolvendo o presidente Jair Bolsonaro, o governo federal anunciou a restrição de viajantes oriundos da África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue, a partir de segunda-feira, 29.

Publicações relacionadas