Brasil 'fechará fronteiras aéreas' para seis países da África em virtude de nova variante

Publicado sexta-feira, 26 de novembro de 2021 às 21:47 h | Atualizado em 26/11/2021, 22:26 | Autor: AFP

O governo brasileiro anunciou nesta sexta-feira, 26, que vai "fechar as fronteiras aéreas" a partir da próxima segunda-feira para seis países africanos, com o objetivo de evitar a disseminação da nova variante do coronavírus, batizada de omicron.

"Vamos resguardar os brasileiros nessa nova fase da pandemia", declarou no Twitter o ministro chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, após reunião entre vários ministérios para tratar da situação.

Ele especificou que a medida será oficializada neste sábado e que a restrição incluirá África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue, localizados no sul do continente, onde a variante foi detectada pela primeira vez.

Na manhã desta sexta, a Anvisa havia feito um apelo à adoção de medidas contra a nova cepa: “Considerando o impacto epidemiológico que a nova variante pode ter no cenário mundial (...) recomenda-se a suspensão imediata de todos os voos" dos países envolvidos.

O presidente Jair Bolsonaro prometeu à tarde "medidas racionais" para conter a entrada no país da nova variante, após descartar o fechamento de aeroportos.

A agência reguladora também recomendou a "suspensão temporária da autorização de desembarque no Brasil para estrangeiros que transitaram por esses países nos últimos 14 dias" e a quarentena para os brasileiros que retornam daquela região da África.

O anúncio de Nogueira não especifica esses pontos.

“O Brasil não aguenta mais um lockdown”

Bolsonaro afirmou durante evento oficial no Rio de Janeiro que "o Brasil não aguenta mais um lockdown”.

Enquanto isso, a Prefeitura de Guarulhos, São Paulo, onde está o maior aeroporto internacional do país, pediu ao governo o reforço das barreiras sanitárias para os viajantes.

Entre elas, pedir comprovante de vacinação - ao que Bolsonaro se opõe veementemente - e quarentena para passageiros oriundos de países africanos, especialmente da África do Sul.

A variante B.1.1.529, potencialmente muito contagiosa e com múltiplas mutações, foi detectada na África do Sul, conforme anunciado na quinta-feira por um grupo de cientistas do país, que ainda não conhece a eficácia das vacinas contra ela.

Após o anúncio, vários países, como Reino Unido, Itália, Alemanha e França, decidiram fechar as portas aos viajantes de várias nações da África Austral.

A Organização Mundial da Saúde (OMS), no entanto, indicou que "nesta fase a aplicação de restrições de viagens não é recomendada", segundo o porta-voz da OMS, Christian Lindmeier.

Publicações relacionadas