Salvador imuniza população carcerária com vacina bivalente para Covid | A TARDE
Atarde > Coronavírus

Salvador imuniza população carcerária com vacina bivalente para Covid

A vacinação será realizada às 11h, no Conjunto Penal Feminino, localizado no bairro Mata Escura

Publicado domingo, 26 de março de 2023 às 19:31 h | Autor: Da Redação
A vacinação será realizada às 11h, no Conjunto Penal Feminino, localizado no bairro Mata Escura
A vacinação será realizada às 11h, no Conjunto Penal Feminino, localizado no bairro Mata Escura -

A Prefeitura de Salvador, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), amplia nesta segunda-feira (27), a estratégia de vacinação contra Covid-19 para trabalhadores do sistema prisional e população privada de liberdade. 

O Ministério da Saúde destaca a população carcerária como parte de grupos populacionais “caracterizados pela vulnerabilidade social e econômica que os colocam em situação de maior exposição à infecção e impacto pela doença”.

A vacinação será realizada às 11h, no Conjunto Penal Feminino, localizado no bairro Mata Escura. O cronograma da vacinação se estenderá para todos os presídios da capital baiana, com programação a ser divulgada. 

A vice-prefeita e secretária da Saúde, Ana Paula Matos, explica a estratégia. “Seguimos o cronograma do Ministério da Saúde, e vamos, aos poucos, ampliando esse público. As instituições com a população privada de liberdade oferecem risco potencial para ocorrência de surtos dado, principalmente, ao confinamento de pessoas, dificultando a prevenção e proteção. Isso pode, ainda, acarretar a ocorrência de casos fora desses estabelecimentos, uma vez que temos trabalhadores atuando nesses locais e presença de familiares em visitas. Assim como para a população geral, vale a máxima de que a vacinação em massa é a forma mais eficaz de frear a contaminação do vírus da Covid e salvar vidas”, afirmou. 

A vacinação com a vacina bivalente já contempla os idosos a partir de 60 anos,  imunocomprometidos, quilombolas, as pessoas assistidas em instituições de longa permanência com 12 anos ou mais e os respectivos trabalhadores destes Centros de Acolhimento, trabalhadores da saúde, gestantes, puérperas e pessoas com deficiência permanente. 

A ampliação dos grupos prioritários ocorre de forma escalonada, conforme cronograma do Ministério da Saúde.

Publicações relacionadas