adblock ativo

Saúde é alertada sobre terceira onda da pandemia, mas ministro minimiza: "Não estamos vislumbrando isso"

Publicado sábado, 22 de maio de 2021 às 15:48 h | Atualizado em 22/05/2021, 15:51 | Autor: Da redação
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, recebeu alertas de estados e municípios | Foto: Jefferson Rudy | AFP
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, recebeu alertas de estados e municípios | Foto: Jefferson Rudy | AFP -
adblock ativo

Com o aumento no número de casos de Covid-19 em todo o país, secretários de estados e municípios tem alertado o governo federal sobre a chegada de uma nova onda da pandemia.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirma ter preocupação sobre o cenário da crise sanitária, mas publicamente minimiza o risco de alta no curto prazo.

“Não estamos vislumbrando isso nesse momento. A maneira adequada de se evitar a terceira onda é avançar na campanha de vacinação”, disse o ministro nesta sexta-feira, 21. 

Ele afirmou que alguns estados e municípios já notaram “pressão sobre o sistema de saúde”. “Isso se reflete pela abertura que foi concedida nesses estados”.

Presidente do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) e secretário no Maranhão, Carlos Lula afirma que alertou Queiroga, nesta semana, sobre possível alta da doença.

Para Lula, o recrudescimento da pandemia pode ser superior aos anteriores. “A gente já parte de um patamar muito alto”, disse o secretário.

Segundo ele, o SUS não tem estoque suficiente de insumos essenciais, como kits de intubação, e está perto do limite da expansão de leitos.

Nesta sexta, o Brasil registrou 2.136 mortes pela doença e 77.598 novos casos, totalizando 446.527 óbitos e 15.976.156 pessoas infectadas durante a crise sanitária.

adblock ativo

Publicações relacionadas