adblock ativo

Alfaiataria masculina ganha novo status fashion

Publicado sábado, 20 de junho de 2015 às 11:54 h | Atualizado em 20/06/2015, 11:54 | Autor: Luis Fernando Lisboa
Peças de alfaiataria podem ser usadas por homens e mulheres
Peças de alfaiataria podem ser usadas por homens e mulheres -
adblock ativo

A moda masculina aos poucos deixa de lado o seu tom enfadonho e abandona o rigor das peças exclusivamente sóbrias. Cores inusitadas, cortes inovadores e estampas divertidas passaram a compor o tom de coleções que chegam  às ruas em novas leituras.  

A marca baiana Meninos Rei, criada pelos irmãos Júnior Rocha e Céu Rocha, é um bom exemplo desse fenômeno fashion. A dupla decidiu investir em camisas de alfaiataria que podem ser usadas por homens e mulheres sem rigidez ou limitações.

Júnior conta que sempre desenhou camisas para o seu uso pessoal. Quando elas começaram a fazer sucesso nos círculos por onde andava, ele achou que era hora de um verdadeiro investimento.

"A moda masculina em Salvador é muito primária. Não é possível encontrar peças autênticas e com identidade. Quando eu e Céu percebemos a demanda, tivemos a ousadia de fazer algo diferente". 

Os baianos são formados em designer de moda com experiência na área. Há dez anos Júnior é responsável pelo visual da cantora Margareth Menezes, além de prestar consultorias na área.

Já Céu trabalha como estilista na cena local e já assinou figurinos durante o Carnaval para cantoras como Daniela Mercury e Larissa Luz.

Toque étnico

A recém-lançada coleção de outono/inverno 2015 da marca Meninos Rei foi intitulada como Étnico Urbano.

"Com um olhar muito atento para as novidades e para o que é diferente, decidimos investir na tendência animal print em estampas de zebra, girafas e onças", explica. 
 
Nesse lançamento também foram incluídas bermudas estampadas que formam conjuntos irreverentes.

"Com modelagem slim e mangas mais curtas, as camisas representam a alfaitaria de qualidade", afirma.

Os irmãos só produzem três tamanhos (P, M e G) de cada exemplar por conta da busca pela exclusividade. "São estampas muito marcantes. As pessoas querem um conteúdo mais pessoal". 

A dupla já fez levantamentos de tecidos inusitados para as coleções em países como México e África do Sul.

Os próximos projetos estão em desenvolvimento: uma coleção de alto verão bem colorida e com muitas estampas, além de um pocket lançamento chamado African Pop, com seis estampas africanas e poucas peças. Ambas estarão  disponíveis durante o verão 2015/2016.

Ainda sem loja física, o forte da marca é seu trabalho em plataformas digitais, como o Instagram (@meninosrei) e Facebook (Meninos Rei).
"90% das nossas vendas acontecem online. Ainda não estruturamos o e-commerce no site oficial por conta de questões burocráticas", esclarece Júnior.

Relação artística

As camisas começaram a fazer sucesso  no cenário de artistas locais através do boca a boca. Hoje, estão na lista de clientes  nomes como Tayrone Cigano, Magary Lord, Márcio Victor e Ana Mametto.

Gilberto Gil foi apresentado à marca pela sua filha Marília Gil e já  é  fã das peças. "Eles gostam de coisas diferentes. Por isso, ficam enlouquecidos com o nosso trabalho".

adblock ativo

Publicações relacionadas