Baiano Décio Torres Cruz lança livro de poesias e revela instantes

Publicado quinta-feira, 02 de dezembro de 2021 às 06:07 h | Atualizado em 02/12/2021, 00:19 | Autor: Eugênio Afonso

Na apresentação do livro Paisagens interiores, o imortal da Academia de Letras da Bahia, Aleilton Fonseca, diz que o escritor baiano Décio Torres Cruz, de 63 anos, revela-se um poeta consumado, cuja experiência e intimidade com as palavras modelam a sua dicção de forma densa e original.

Lançado pela editora Patuá, a obra convida o leitor a passear por diferentes estados da alma do escritor, em cenários do Brasil e do exterior, através de poemas, fotos do próprio autor e ilustrações do artista plástico Luiz Ramos.

“O principal propósito deste livro é tornar público poemas que escrevi e reescrevi ao longo de anos, para dividir com os leitores as diversas experiências que tive por distintas paisagens da alma e em cenários diversos, tais como Alagoinhas, Salvador, Rio de Janeiro, Nova York, Buffalo, Londres, Toledo e Aranjuez. Quero fechar um ciclo iniciado há muitos anos e iniciar outros”, conta o escritor.

Torres Cruz acredita que escreve por que uma força motriz nos impulsiona a produzir, a criar algo artisticamente. “É o desejo de colocar no papel sensações, sentimentos, emoções proporcionadas pelos diversos panoramas que compõem o nosso eu e que marcam a nossa presença no mundo. É a vontade de traduzir aquilo que habita em nosso interior e busca uma voz para ser exteriorizado através da escrita na tentativa de entender a nós mesmos e o mundo à nossa volta, e de estabelecer uma comunicação com nossos semelhantes”.

E mal acabou de sair do forno, a obra de Décio, que também é crítico literário, poeta, professor universitário e pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura da Ufba, já está sendo traduzida para o italiano.

Lirismo e filosofia

Grande parte do livro é baseada nas próprias experiências do autor, algumas observadas, outras experiências de leituras. Décio fala de cenas cotidianas como a passagem do tempo, as viagens, os encontros, desencontros e despedidas, memória, lembranças e esquecimento, música e silêncio, amor e paixão, solidão e desejo, a multiplicidade do ser e a busca pelo outro, além de brincar com a tradição literária clássica e contemporânea e o próprio fazer artístico.

“Minha poesia é basicamente lírica, embora existam alguns poemas narrativos e filosóficos. Mas mesmo esses outros tipos são guiados pelo lirismo que busquei acrescentar a eles. E como dizia o grande Edgar Allan Poe, um dos propósitos da poesia é suscitar e atingir o belo. Se consegui isso com meus versos, fico feliz com o resultado”, pontua o escritor.

Para Aleilton, Paisagens interiores é um excelente conjunto de poemas, além de ser extremamente sugestivo, culto e contemporâneo.

“É poesia da melhor qualidade. Ficou uma sensação agradável de uma leitura estética, com a suavidade musical das palavras, a plasticidade das imagens, o significado das experiências das viagens e leituras do poeta”, constata Fonseca.

Biografia

Irmão do imortal da Academia Brasileira de Letras Antonio Torres, Décio conta que a identificação com os livros surgiu cedo. “Meu interesse por literatura vem desde pequeno, logo que aprendi a ler não consegui mais parar. Recebi influências de muitas pessoas, como meu irmão mais velho Antonio, que hoje se transformou em um dos grandes escritores do país e membro da ABL”, observa.

São de sua lavra vários livros teóricos, dois deles publicados em inglês: The Cinematic Novel and Postmodern Pop Fiction: The Case of Manuel Puig (2019) e Postmodern Metanarratives: Blade Runner and literature in the age of image. (2014).

No Brasil, lançou Literatura (pós-colonial) caribenha de língua inglesa (2016) e O pop: literatura, mídia & outras artes (Uneb, 2003), usados em programas de graduação e pós-graduação de algumas universidades.

Além disso, publicou livros didáticos de inglês adotados em diversas universidades brasileiras: English Online: Inglês instrumental para informática (2013); Idea Factory: 100 Games and Fun Activities for your English Classes (2012; 2013); Inglês para Administração e Economia (2007); Inglês para Turismo e Hotelaria ( 2005); e Inglês.com.textos para informática (2003).

Para gáudio dos leitores, o poeta segue em plena ebulição literária e já está produzindo um livro de contos intitulado Histórias roubadas, com previsão de lançamento para 2022. “Entrego apenas o título para que os leitores reflitam sobre o conteúdo e também brinquem um pouco com a imaginação”, finaliza Décio.

Paisagens interiores se encontra disponível em livrarias físicas e virtuais, e como a primeira edição quase esgotou na pré-venda, já está sendo negociada uma segunda tiragem.

Publicações relacionadas