adblock ativo

CCBB exibe suspense e terror do cinema contemporâneo

Publicado quarta-feira, 19 de julho de 2006 às 14:00 h | Atualizado em 19/07/2006, 14:00 | Autor: Agencia Estado
adblock ativo

Arte que simula o real, o cinema parece o meio adequado para que o espectador experimente um perigo que, na verdade, não o atinge, já que ele está ali seguro no escurinho da sala. Partindo dessa idéia, o curador Luiz Montes organizou a mostra Alta Tensão - Suspense e Terror no Cinema Contemporâneo, que começa hoje no Centro Cultural Banco do Brasil. Até dia 30, serão exibidos dez filmes de diversas procedências.

Formado em cinema pela USP, Montes, de 29 anos, é roteirista e diretor de quatro curtas premiados. Reconhecendo que o medo pode ser uma das mais belas artes, ele evita o que seria a obviedade - a tensão segundo o mestre do suspense, Alfred Hitchcock - e tenta apresentar o que há de mais significativo sendo feito nessa seara em todo o mundo. A tensão não é só um tema. O importante é revelar os procedimentos estéticos que permitem aos diretores novas abordagens de uma matéria que interessa muito ao cinema comercial.

Distorções de imagem e contrastes de claro e escuro não são mais suficientes. O som, você vai ver, desempenha um papel fundamental nesses filmes e é por meio de recursos assim que os autores colocam na tela narrativas com elementos sobrenaturais ou que enfocam a ruína psicológica de indivíduos atormentados.

Um recorrido sobre os diversos filmes destaca alguns títulos, em particular. Following, por exemplo, é o tipo do programa que o cinéfilo não vai perder. É assinado por Christopher Nolan, cineasta que, em Amnésia e Insônia, recorreu a efeitos e narrativas descontínuas - no caso do primeiro, ele contou sua história de trás para a frente - para disfarçar que a dramaturgia, propriamente dita, não é tão inovadora assim.

Nolan de qualquer maneira, deu um salto com Batman Begins, o que justifica a curiosidade por suas origens, neste filme sobre aspirante a escritor que se envolve com ladrão que passa a protegê-lo.

No Oriente, nos últimos anos, houve uma explosão do cinema de terror, especialmente no Japão, que produziu o fenômeno O Anel, encampado por Hollywood. Do Japão vem agora Audition, de Takashi Miike, sobre viúvo que se envolve com uma mulher misteriosa (e fatal).

Da Coréia surge A Tale of Two Sisters, de Jim Jee-Woon, no qual a história das duas irmãs é situada no quadro de uma família disfuncional, como representação do mundo.

Dos demais programas, há um francês - Harry Veio para Ajudar, de Dominique Moll. Harry, interpretado por Sergi Lopez, é esse cara prestativo que surge na vida de um casal (Laurent Lucas e Mathilde Seigner). Ele é sedutor, mas por trás daquela cara de garotão desprotegido que atrai as mulheres há um desequilibrado dos mais perigosos. O filme pode não ser muito bom. Lopez e Mathilde Seigner são maravilhosos. Graças a eles, a tensão desse filme ganha em erotismo.

Alta Tensão - Suspense e Terror no Cinema Contemporâneo - Hoje: 17h, Wendigo, de Larry Fessenden; 19h, A Tale of Two Sisters, de Kim Ji-Woon. Quinta, 20/7: 17h, Soft for Digging, de JT Petty; 19h, Harry Chegou para Ajudar, de Dominik Moll. Centro Cultural Banco do Brasil. R. Álvares Penteado, 112. Fone: (011) 3113-3651. 4ª a 6ª, 17h e 19h (sáb. e dom. também 14h). R$ 4. Até 30/7.

adblock ativo

Publicações relacionadas