Ator paulista Wilson de Santos traz a Salvador a comédia ‘Atormente’ | A TARDE
Atarde > cultura > Teatro

Ator paulista Wilson de Santos traz a Salvador a comédia ‘Atormente’

Comédia terá quatro apresentações no teatro Módulo

Publicado sexta-feira, 06 de outubro de 2023 às 00:30 h | Autor: Eugênio Afonso
Longe dos personagens femininos, desta vez o ator interpreta a si mesmo
Longe dos personagens femininos, desta vez o ator interpreta a si mesmo -

Wilson de Santos é um velho conhecido dos soteropolitanos. E para quem ainda não ligou o nome à pessoa, um refresco à memória. Durante 13 anos, o ator santista fez parte da Cia Baiana de Patifaria, encenando A Bofetada e Noviças Rebeldes – aqui como irmã Maria José, personagem que acabou rendendo o  espetáculo solo A Noviça Mais Rebelde.

Pois agora, Wilson, 56, está de volta a Salvador, desta vez com a comédia Atormente, sua primeira criação no formato stand up. A peça estreia neste sábado, 7, às 20h, no teatro Módulo, e fica em cartaz até o próximo dia 28. Serão quatro apresentações, sempre aos sábados.

Com roteiro do próprio ator, o espetáculo solo coloca em cena bastidores de quase 40 anos de carreira de Wilson como ator de comédia, tendo como referência histórias capazes de criar identificação imediata com o público.

“Venho amadurecendo essa ideia já há algum tempo, então, incentivado por amigos, tomei coragem e resolvi me desafiar para comemorar meus 39 nos palcos da vida. Venho contando histórias divertidas, os perrengues e sapos que um artista tem que engolir em busca do sucesso. Trago histórias capazes de criar identificação imediata com qualquer carreira, artística ou não”, conta Wilson. 

“Atormente é sobre a busca pelo sucesso e isso é algo com que qualquer pessoa pode se identificar. Falo, por exemplo, de como nossa vida está cada vez mais dependente do mundo virtual. Esse avanço tecnológico que só faz acelerar a tudo e a todos, essa urgência desenfreada, a busca insana por likes e seguidores”, complementa o ator. 

Em pouco mais de uma hora, Wilson conta casos engraçados, perrengues e sapos que um artista tem que engolir em busca do estrelato, passeia pelas experiências no universo artístico, pelo gostinho da fama quando fez novelas na TV e até por sua relação cada vez mais dependente do mundo digital. 

“Nessa minha nova aventura, tracei uma linha com começo, meio e fim, e fui acrescentando tópicos, misturando histórias divertidas, viral de internet, memes, pequenas esquetes, informações do nosso cotidiano. O que está na boca do povo sempre faz muito sucesso.  Também deixo brechas para o que pode surgir a cada noite, o que a plateia pode propor”, informa de Santos.

Sem pancake

Conhecido também por sua galeria de personagens femininos, Wilson diz que sempre teve muito fascínio pelo universo das mulheres. “São os melhores personagens, cheios de nuances, complexos e muito ricos. Sonho um dia em dar vida a uma dessas mulheres de um clássico do teatro, quem sabe ainda saia uma Desdêmona de dentro de mim?”, se diverte o ator.

Mas para este stand up, apesar de amar a mulherada e agradecer por tanta inspiração, ele garante que está dando uma pausa em tudo isso. “Minha pele agradece. São muitos anos de reboco com um pancake que é quase uma argamassa na minha cara. Mas não consegui escapar de usar uma peruquinha. Ih!, chega, já tô dando spoiler…”

Para Wilson, a comédia, muitas vezes considerada um gênero menor, não é fácil de executar e é preciso ter vocação, técnica e disciplina. “Adoro esse movimento de levar diversão e alegria para as pessoas, sou muito do entretenimento. Nossa profissão é brincar com a farsa, com a arte de interpretar. Isso é fascinante e também uma tarefa muito difícil. É preciso ter muita verdade para fazer a mágica acontecer e a plateia pulsar com você, acreditando naquele jogo”.

E para quem não conhece sua história com a Bahia, ele confessa, orgulhoso, que considera Salvador sua segunda casa. 

“A Bahia me deu régua, compasso, amores, me fez crescer profissionalmente e estar aqui é sempre uma grande alegria. Muitas pessoas em São Paulo e no Rio acreditam que sou baiano e se surpreendem quando descobrem que sou santista. Aí eu sempre digo: relaxe, muita calma nessa hora, tem dendê correndo nessas veias, sou baiano também, com muito orgulho”, finaliza.

Atormente / 7 a 28 de outubro, aos sábados / 20h / teatro módulo / 14 anos / R$ 60 (inteira), 

R$ 30 (meia) e R$ 36 (Professores e Vivo Valoriza) / Vendas na bilheteria do teatro e pelo Sympla

Publicações relacionadas