Klara Castanho pede indenização de R$ 100 mil a Antonia Fontenelle

Defesa alega que a youtuber, além de expor a atriz, sugeriu que ela teria cometido crime de abandono de incapaz

Publicado terça-feira, 19 de julho de 2022 às 16:37 h | Atualizado em 19/07/2022, 17:00 | Autor: Da Redação
Fontenelle afirmou que não foi a precursora da notícia e só começou a falar sobre após outras pessoas
Fontenelle afirmou que não foi a precursora da notícia e só começou a falar sobre após outras pessoas -

A atriz Klara Castanho acionou a youtuber Antonia Fontenelle na justiça e pediu R$ 100 mil de indenização por danos morais devido a falas proferidas sobre a entrega do bebê à adoção. A informação foi divulgada pelo colunista Ancelmo Gois.

A defesa alega que Fontenelle, além de expor a atriz, sugeriu que ela teria cometido crime de abandono de incapaz.

"Diante das gravíssimas ofensas comprovadas contra a Autora, não restam dúvidas de que, no presente caso, estão preenchidos todos os pressupostos para condenar a Ré ao pagamento de danos morais no valor R$ 100.000,00", diz trecho da petição.

As declarações de Fontenelle, no entanto, foram feitas antes da atriz revelar que havia sido vítima de estupro.

Em vídeo publicado após a exposição do caso, Fontenelle afirmou que não foi a precursora da notícia e só começou a falar sobre após outras pessoas.

"O vilão dessa história é o estuprador. Que tal a gente ir para o cerne da questão? A moça relatou que foi estuprada, mas acho que vocês não estão preocupados com isso", disse.

A defesa da atriz já havia pedido liminar para retirar a live da youtuber. Entretanto, a juíza Flávia Viveiro de Castro, da 2ª Vara Cível da Barra, negou afirmando que a determinação beirava a censura.

"Os comentários sobre os fatos, as postagens estão todas na rede social. Não se pode censurar um discurso, por mais que com ele não concordemos. Isso, entretanto, não livra aquele que publica e emite opinião ofensiva, ou que espalha um discurso de ódio, produzida a prova e provados os fatos, de ser responsabilizado pelo que divulgou", disse a magistrada.

Publicações relacionadas