adblock ativo

Palpite: BBB13 chega ao fim com fórmula desgastada

Publicado terça-feira, 26 de março de 2013 às 23:57 h | Atualizado em 26/03/2013, 23:58 | Autor: Bruno Porciuncula
BBB13
BBB13 -
adblock ativo

O Big Brother Brasil 13 terminou na noite desta terça-feira, 26, com a vitória da advogada mineira Fernanda Vilaça com 62,79% e pouco com o que comemorar. A audiência, até a véspera da final, estava com média de 24 pontos na Grande São Paulo, abaixo dos 25 pontos da 12ª edição, o BBB com a pior audiência da história. Esses números mostram que o programa está, a cada ano, mais desgastado. A fórmula já não apresenta novidades. Não foi à toa que a principal aposta da atração foi a volta de seis veteranos de outras edições.

Os novos participantes até que foram bem escolhidos, mas dificilmente serão lembrados nos próximos meses. O vendedor Nasser, o professor de inglês Ivan e o artista plástico Aslan fugiram bastante do perfil básico do homem do BBB: saradão e sem nada na cabeça. No quesito feminino, a Playboy vai ter dificuldades em escolher uma estrela para a próxima capa. Fernanda, a que poderia ser mais bem sucedida estampando as páginas da revista, levou a bolada e dificilmente vai aceitar posar como veio ao mundo.

Algumas provas do líder tiveram problemas, como a que Kamilla foi declarada vencedora por causa de um erro no cronômetro. Após os atentos telespectadores alertarem a produção pelas redes sociais, Nasser ficou com a liderança. Outra, a de conhecimentos gerais, parecia feita para crianças de 10 anos. "Quem descobriu o Brasil?" foi uma das questões. As aborrecidas provas de resistência continuaram nessa edição, fazendo os brothers passarem até 13 horas tendo que se manter acordados.

Pontos positivos

Sumiu, Apareceu - Excelente a iniciativa da produção de tirar um dos participantes e deixá-lo fora da casa por um dia sem que os outros soubessem o que aconteceu. Kamilla teve a sorte de entrar na despensa na hora certa e ser levada para um dia de beleza, com direito a spa, hotel 5 estrelas e banho de sol. Essa saída repentina deixou a casa nervosa, achando que a sister havia passado mal e movimentando o dia dos brothers. Elieser foi o que mais chorou e, a partir daí, percebeu que sentia algo por ela. Acabaram formando um casal improvável, mas que durou pouco tempo. O problema é que algo desse tipo, na próxima edição, não vai levantar suspeitas desse tipo.

Jogo da discórdia - Toda segunda-feira o BBB tinha essa novidade. Bial chamava os participantes para falar o que achava dos outros. Muitas vezes os brothers não entendiam a brincadeira e pegavam leve. Mas quando falavam a verdade, discussões e brigas começavam a surgir.

Casais - Fernanda e André, Andressa e Nasser, Kamilla e Elieser, Yuri e Natália... nunca uma edição do BBB formou tantos casais. Fernanda foi a primeira a "se armar" com André, que resistiu aos encantos da gata até quase o final, quando se rendeu e assumiu o relacionamento. Andressa - que estava noiva aqui fora - e Nasser formaram o casal mais duradouro. Desde a primeira semana se juntaram e não se separaram mais, até participarem da final com Fernanda.

Pontos negativos

Veteranos - Eles chegaram com pinta de que seriam os campeões, mas os "ex-ex-BBBs" foram decepcionantes. Kléber Bambam, o campeão da 1ª edição, se desentendeu com a novata Aline e, inexplicavelmente, pediu para sair logo na primeira semana. Foi substituído por Yuri, que nada acrescentou e cometeu os mesmos erros da 12ª edição: se mostrou imaturo e não soube levar adiante o relacionamento com Natália (outra veterana que nada acrescentou, se tornando a melhor amiga de todo mundo).

Dhomini, que chegou forte, caiu na besteira de contar um caso - inverídico, constatou a polícia - no qual teria arrancado todos os dentes de um cachorro usando um machado. Resultado, mobilizações nas redes sociais tiraram o vencedor da 3ª edição. Elieser e Anamara, dupla que participou do BBB 10, foram os mesmos: o primeiro, sem noção, parecendo que tinha 10 anos de idade. Já a segunda, só fazia gritar e se auto-proclamar "a" periguete.

Fani foi outra que decepcionou. A carioca de Nova Iguaçu, que formou o melhor triângulo amoroso do BBB com Alemão e Iris, na 7ª edição, e apresenta um programa soft-pornô na TV à Cabo, parecia aquelas tiazonas solteiras em festa de adolescente. Não se enturmou com ninguém, se irritava facilmente e não colocou fogo no jogo como imaginava Boninho, o diretor do programa.

Falso "hermano" - A brincadeira de trazer o argentino Miguel, que seria participante do Gran Hermano - o BBB deles -, se mostrou sem graça. Ele nada acrescentou e só serviu para baixar o fogo da carente Fani. Eles até ensaiaram um relacionamento sério depois que ela foi eliminada do programa, mas nada foi adiante.

adblock ativo

Publicações relacionadas