Sindicato pode processar Globo caso Jade Picon estrele novela

Empresária e ex-BBB não tem registro profissional de atriz e nunca estudou atuação

Publicado quarta-feira, 11 de maio de 2022 às 20:52 h | Atualizado em 11/05/2022, 20:52 | Autor: Da Redação
Influencer e empresária teria sido contratada para o novo folhetim da autora Glória Perez
Influencer e empresária teria sido contratada para o novo folhetim da autora Glória Perez -

Cotada para assumir um grande papel em “Travessia”, próxima novela do horário nobre da Globo, Jade Picon pode enfrentar uma batalha judicial para atuar na trama. Isso porque ela não tem registro profissional de atriz e nunca estudou atuação, e o sindicato da categoria se diz disposto a cumprir a lei para proteger a profissão. 

Nesta semana, diversas notícias afirmaram que a influencer e empresária teria sido contratada para o novo folhetim da autora Glória Perez, sequência de Pantanal. Segundo os rumores, ela irá viver a vilã “Chiara”, uma digital influencer que foi vítima de fake news. Na trama, Jade seria a antagonista da mocinha Lucy Ramos, interpretada por Lucy Alves, e par romântico de Chay Suede.

Desde então, atores e atrizes do país, além de internautas, se posicionaram nas redes sociais contra a atuação da ex-BBB. A atriz Anna Rita Cerqueira reproduziu um trecho de uma matéria em que Jade afirmou que “apesar de nunca ter trabalhado em uma novela ou estudado atuação, tem vontade de se aventurar no teatro e aprender”.

“Se aventurar no teatro, [risos]. Na minha época, isso significava anos de estudo e panfletar para encher o teatro e receber, por fim de semana, às vezes o que não pagava nem a ida e volta para o teatro. Meus dez anos de curso de teatro se encontram de luto após essa notícia”, criticou a atriz.

Ao Metrópoles, o presidente do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões, do Rio de Janeiro (Sated-RJ), Hugo Gross, afirmou que caso a Globo insista em escalar Jade para a novela, a emissora poderá ser processada.

“A lei tem que ser cumprida. Não é nada contra a emissora A ou B. O Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Rio de Janeiro existe para proteger o trabalhador da arte. O artista, a atriz, o ator, o técnico. É isso que a gente está fazendo”, pontuou ele nesta quarta-feira, 11.

Gross diz que não se trata de um problema pessoal com Jade e sim com o fato de que a ex-BBB nunca trabalhou como artista, e tiraria o lugar de uma pessoa que estudou por anos e anos. “Isso é falta de embasamento, o Sindicato não vai permitir. Não é contra ela, é contra qualquer pessoa que não tenha o registro profissional”, declarou.

Hugo disse ainda que a contratação de Jade estaria diretamente atrelada a sua popularidade nas redes sociais, onde ela reúne milhões de seguidores. “A cultura está sendo banalizada, os teatros do Rio de Janeiro estão todos fechados, a lei Aldir Blanc foi prejudicada. Se eu sou ator há muitos anos, eu preciso comprar seguidores para fazer uma novela ou uma obra de teatro? Tem muitos atores e atrizes que tem uma história, e que poderiam estar trabalhando. A lei tem que ser cumprida”, completou ele.

Publicações relacionadas