adblock ativo

Em Eu Sou a Lenda, Will Smith está sozinho na Terra

Publicado quinta-feira, 17 de janeiro de 2008 às 10:16 h | Atualizado em 17/01/2008, 10:16 | Autor: Agencia Estado
adblock ativo

Com estréia marcada para amanhã, o toque de Midas de Will Smith promete fazer de "Eu Sou a Lenda" um dos maiores blockbusters de 2008. O ator vive o cientista Robert Neville, que acredita ser o último habitante da Terra. É a terceira adaptação do livro homônimo escrito por Richard Matheson em 1954: as outras foram "Mortos que Matam", de 1964, e "A Última Esperança Sobre a Terra", de 1971. Mas essa adaptação é diferente, garante o diretor Francis Lawrence.

Smith atuou praticamente em um monólogo cinematográfico - sua única companheira em grande parte do filme é uma cachorra. No longa, o virologista e ex-militar cumpre uma rígida maratona de exercícios, alimentação e outros hábitos diários, mesmo depois de se tornar o único habitante do planeta. Estoca comida, ?aluga? filmes na locadora, joga golfe, dirige em alta velocidade - e tudo é rotina. Na verdade, o protagonista não está sozinho em Nova York: é observado o tempo todo por mutantes (criados por computador), sempre raivosos e famintos.

No filme, Nova York está vazia, feito que Francis Lawrence conseguiu à custa de reclamações dos moradores, que conviveram com ruas fechadas durante meses. ?Essa foi, sem dúvida, a parte mais difícil?, fala o diretor. Já a escolha de Alice Braga para contracenar com Smith foi fácil, segundo ele. Sem titubear, escalaram a atriz brasileira (sobrinha de Sônia Braga) porque acreditaram que ela se encaixava perfeitamente no papel. ?Alice passa a candura e a autenticidade perfeitas para o papel?, comenta Will Smith.

Além de pai e ator principal, o astro também ajudou Akiva Goldsman na criação do filme. ?Will é um ator muito talentoso e é prazeroso criar personagens com ele. Além disso, é sempre melhor ter alguém para acompanhar o processo?, diz o roteirista. As informações são do Jornal da Tarde.

adblock ativo

Publicações relacionadas