adblock ativo

Em vez do glamour, noite do Grammy teve muita gafe

Publicado sexta-feira, 14 de novembro de 2008 às 20:45 h | Atualizado em 14/11/2008, 20:45 | Autor: Roberto Midlej, do A Tarde
adblock ativo


Foi a primeira vez que uma cerimônia de premiação do Grammy  – a que contemplava artistas brasileiros – aconteceu fora do território dos Estados Unidos. Por isso, o Brasil precisava fazer bonito. Mas deixou a desejar. Na verdade, ficou muito longe de uma festa que costuma primar pela organização, mas dessa vez ficou marcada por uma série de equívocos.

O ápice das gafes da noite de quinta-feira ocorreu quando Marilene e Mary, As Galvão, subiram ao palco para entregar o prêmio de Melhor Álbum de Música Regional. Surpresas, ao abrir o envelope que revelava o vencedor, elas se depararam com o nome de Seu Jorge, que concorria a Melhor Álbum de MPB.

“Eu acho que deram o negócio errado pra nós”, exclamou uma delas, arrancando gargalhadas do público. De repente, alguém da produção invade o palco, se aproxima do microfone e grita: “É Chitãozinho e Xororó!”. Simplesmente patético. O vídeo, claro, está no You Tube.

A Bahia, que tinha muitos candidatos, não se saiu bem: Caetano Veloso e Maria Bethânia perderam para Seu Jorge o troféu de Melhor Álbum de MPB; o Harmonia do Samba deixou o de Melhor Álbum de Música Regional para Elba Ramalho e Rosa Passos não conseguiu derrubar o favoritismo de Vanessa da Matta em Melhor Álbum Pop Brasileiro.

No fim, o melhor saldo foi mesmo da desconhecida Soraya Moraes, que ficou com três troféus: Melhor Canção Brasileira (Som da Chuva), Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa (Som da Chuva) e Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Espanhola, este na cerimônia principal do Grammy Latino, em Houston, EUA.

O CPM 22 levou o prêmio de Melhor Álbum de Rock Brasileiro por Cidade Cinza; Beth Carvalho ficou com Melhor Álbum de Samba ou Pagode (Canta o Samba da Bahia ao Vivo) e César Menotti e Fabiano levaram o gramofone de Melhor Álbum Brasileiro de Música Romântica. Entre os estrangeiros, brilhou a estrela do colombiano Juanes, que ficou com cinco prêmios.

Transmissão –  Nem a turma do programa CQC, em noite de pouquíssima inspiração, conseguiu sair ilesa: dois repórteres protagonizaram um vídeo ridículo em que simulavam seqüestrar a apresentadora Daniella Cicarelli, prometendo libertá-la somente se entregassem a eles um prêmio. Constrangedor.

Para piorar, Danilo Gentile e Rafael Cortez, do CQC, tentaram fazer um trocadilho com a roqueira Pitty: “Quando você tiver filhos, não tem receio de eles serem chamados de ‘son of a Pitty’?”. Não sabiam que há poucos meses ela sofreu aborto espontâneo. A situação deixou a cantora visivelmente transtornada. Podiam dormir sem essa.

adblock ativo

Publicações relacionadas