Festival de Música na Bahia reúne mulheres capoeiristas

Fase final do festival acontece nesta sexta e sábado, quando finalistas cantam suas composições e jurados apontam a campeã

Publicado sexta-feira, 08 de julho de 2022 às 05:05 h | Atualizado em 08/07/2022, 00:24 | Autor: Maria Laura de Souza*
Festival em Irará, no centro norte, dá palco a manifestações afro-brasileiras
Festival em Irará, no centro norte, dá palco a manifestações afro-brasileiras -

Acontece nesta sexta, 8, e sábado, 9, a fase final do Festival de Música Maria Felipa em Irará. A sede do Movimento Cultural Viva Irará, o Mercado Municipal e a Praça Pedro Nogueira recebem o evento que é aberto ao público e também será transmitido ao vivo no canal do YouTube do Movimento Mulher na Capoeira tem Axé.

Dez finalistas cantam suas composições nesse evento e um corpo de jurados indica a campeã. A Mestra Nzinga é uma das organizadoras do evento, ela conta que toda direção está muito animada com a finalização do projeto: “terá uma homenagem póstuma ao Mestre Caco, mestre de capoeira de Terrinha, território do sisal, e o filho dele vai representar o samba rural também”, conta.

Além de um prêmio em dinheiro, as vencedoras do festival irão participar de um CD digital. Mestra Nzinga conta que o objetivo é evidenciar a mulher na capoeira: “hoje a mulher é protagonista das suas próprias ações, e é isso que a gente quer mostrar, a mulher independente na capoeira”, explica.

Viviane Oliveira é Contramestra Princesa e vai participar do Festival tocando para as finalistas. Ela acredita que esse movimento de militância feminista, se organiza para que as mulheres ocupem lugares de igualdade com os homens: “o espaço da capoeira tem uma energia que dá um certo poder no ritual que a música conduz. Esse lugar nos foi negado por muito tempo, agora a gente entende que capoeira também é lugar de mulher”, diz.

O Festival de Música Maria Felipa é uma iniciativa do Coletivo Mulher na Capoeira tem Axé, criado em 2014 com o objetivo de fortalecer a presença das mulheres na capoeira e do Movimento Cultural Viva Irará. O evento é dividido em etapas. Para participar, as mulheres inscreveram músicas autorais em suas regiões e participaram de fases eliminatórias. A primeira etapa aconteceu em Salvador e a segunda em Feira de Santana.

*Sob a supervisão da jornalista Kenna Martins

Publicações relacionadas