adblock ativo

Bombril aposta em mercado baiano para lançar cosméticos

Publicado sábado, 20 de julho de 2013 às 13:13 h | Atualizado em 20/07/2013, 13:13 | Autor: Paula Janay Alves
Joy! Cosmeticos
Joy! Cosmeticos -
adblock ativo

O grupo Bombril está expandindo a sua linha de cosméticos com o lançamento da marca Joy!, voltada para o público jovem feminino de classe C, entre 15 e 22 anos. Com preços entre R$ 1,25 e R$ 14,90, a marca possui linhas de produtos para cabelo, desodorantes, sabonetes e cremes hidratantes.

A Bahia foi o primeiro Estado fora do Sudeste escolhido pela marca para fazer eventos de lançamento.  No último sábado, o ator Klebber Toledo esteve na loja Bell Salvador, do Salvador Shopping, em um evento de promoção. Em todo o país foram investidos R$ 5 milhões neste tipo de evento.

A aposta no mercado baiano faz parte de uma estratégia para expandir a penetração no Nordeste. Segundo o diretor comercial de marketing  da Bombril e Bril Cosméticos, Marcos Scaldelai, o objetivo é que a região represente de 20%  a 25% do consumo da marca em todo o País. A Bahia representaria 7% desse total.

"Identificamos na Bahia um potencial  no público jovem muito forte, para podermos potencializar essa marca", afirma.

A Joy! tenta fugir do conceito de teenager e quer se distanciar do público adolescente. "É uma marca de uma menina jovem que quer se tornar mulher. Ela já se sente como uma mulher e não quer ser considerada uma adolescente", diz.

Segundo o diretor de marketing, é a primeira linha do mercado a se posicionar para este público.

Cosméticos

A Bril Cosméticos foi lançada em maio de 2012 para inserir o grupo Bombril no ramo dos cosméticos. Para a Joy! foram investidos R$ 7 milhões em pesquisas, que duraram quatro anos.

"A Bombril  quer se tornar uma empresa cada vez mais  feminina. Além de cuidar da casa, também quer entregar o cuidado pessoal da mulher", disse  Scaldelai.

Desde sua criação com a compra das marcas Ecologie, a Bril Cosméticos  dobrou de tamanho. A empresa espera faturar R$ 50 milhões em três anos. Na Bahia, a expectativa de faturamento é de R$ 3 milhões, no mesmo período.

adblock ativo

Publicações relacionadas