adblock ativo

Brasil discutirá com Uruguai aumento de tarifas

Publicado quinta-feira, 12 de julho de 2007 às 17:02 h | Atualizado em 12/07/2007, 17:02 | Autor: Agencia Estado
adblock ativo

No próximo dia 17, representantes do governo brasileiro e das indústrias têxtil e calçadista se reúnem com seus colegas uruguaios, em Montevidéu, para tentar convencer o sócio de Mercosul a aceitar pedido de Brasília para elevar a Tarifa Externa Comum (TEC) de confecções e calçados de 20% para 35%, e de 18% para 30% no caso de tecidos. Segundo a direção da Associação Brasileira da Indústria Têxtil (Abit), que participa das negociações, caso o Uruguai não concorde em elevar a TEC, a solução deverá se encaminhar para a concessão de waiver (uma dispensa do acordo) ao Brasil.

Na última segunda-feira, os negociadores conseguiram convencer o Paraguai a elevar de 20% para 35% a Tarifa Externa Comum (TEC) para calçados e confecções. Em tecidos, a solução parece estar indo na direção de um waiver, ou seja, apenas o Brasil poderá elevar a TEC, segundo a Abit. Vale lembrar que a Argentina já tinha, pelos acordos do Mercosul, o direito de cobrar 30% de imposto na importação de tecidos e 35% em tecidos, por isso não se opõe ao pleito brasileiro.

O Brasil, há pouco mais de dois meses, decidiu pedir ao Mercosul a elevação da TEC para calçados, confecções e tecidos na tentativa de conter a forte concorrência estrangeira nessas áreas, agravada pelo câmbio. Mas, ao submeter o pedido aos outros países do bloco, na reunião que aconteceu no fim de junho, o governo brasileiro teve de engolir o veto de Paraguai e Uruguai. Por conta disso, Brasília e representantes desses setores passaram a negociar individualmente com os parceiros de bloco.

adblock ativo

Publicações relacionadas