Brasil é sétimo maior exportador de chocolate do mundo

Só no ano passado, foram 33,5 mil toneladas vendidas, que geraram US$ 226 milhões

Publicado quinta-feira, 07 de julho de 2022 às 16:52 h | Atualizado em 07/07/2022, 16:52 | Autor: Da Redação
Argentina, Estados Unidos e Chile são os maiores compradores do chocolate brasileiro.
Argentina, Estados Unidos e Chile são os maiores compradores do chocolate brasileiro. -

No dia mundial do chocolate, produtores e exportadores têm muito a comemorar.  O Brasil é o sétimo país do

Dados da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) confirmam que o momento é de celebração para o país neste dia 7, quando se comemora o Dia Mundial do Chocolate. O Brasil é o 7º maior produtor de cacau no mundo e ocupa também a 7ª posição entre os maiores exportadores do produto e seus derivados.

De acordo com informações da Associação Nacional das Indústrias Processadoras de Cacau (AIPC), o Brasil exportou, no ano passado, 33,521 mil toneladas de chocolates e 54,756 mil toneladas de derivados do cacau, gerando US$ 226 milhões de dólares. O principal destino do chocolate brasileiro é a Argentina, que é seguida por Estados Unidos e Chile. 

Em relação à exportação de amêndoas de cacau, o volume vendido, em 2021, chegou a 567 toneladas, com expectativa de aumentar para 655 toneladas este ano.

Ainda segundo a AIPC, no período de janeiro a maio de 2022, foram exportadas pelo Brasil 14,038 mil toneladas de chocolates, 20,232 mil toneladas de derivados e 273 mil toneladas de amêndoas de cacau.

A Apex salientou que no cenário do chocolate, que é um dos doces mais consumidos em todo o mundo, o cacau fino produzido na Amazônia é considerado um dos melhores. Em 2021, três produtores de cacau brasileiros foram premiados entre os 50 melhores do mundo no Cocoa of Excellence Awards. Também nesse ano, o chocolate belga Nicolas, produzido com amêndoas do Pará, ficou em segundo lugar na premiação do concurso Belgium Chocolate Awards 2022.

Internacionalização

A ApexBrasil promove a internacionalização do chocolate nacional, por meio do projeto setorial Brasil Sweets & Snacks, desenvolvido desde 1998 em parceria com a Associação Brasileiras da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados (Abicab). O projeto objetiva promover a imagem do cacau brasileiro como matéria-prima de qualidade para a produção de chocolates finos e facilitar o acesso de empresas e produtores do setor aos principais mercados internacionais. A participação em feiras e eventos no exterior é uma das principais ações do projeto.

Este ano, o Brasil Sweets & Snacks levou seis empresas brasileiras do setor para participar da maior e mais importante feira de doces e biscoitos do mundo, realizada anualmente na Alemanha, a ISM Colônia, quando foram gerados US$ 1,3 milhão em negócios imediatos. Outras cinco empresas brasileiras participaram da maior exposição de confeitaria e lanches na América do Norte, a Sweets & Snacks, em Chicago. Ali, foram gerados US$ 580 mil em negócios imediatos e US$ 6 milhões em expectativas de negócios para os próximos meses.

Em Budapeste, na Hungria, a International Peanut Forum (IPF) recebeu quatro empresas brasileiras, com geração de US$ 9,3 milhões em negócios imediatos. Ainda neste mês de julho, o projeto levará empresas brasileiras para a feira Snackex, em Hamburgo, Alemanha; para o ‘Salon du Chocolat’, em Paris, França; e para a ‘ISM Middle East’, em Dubai, Emirados Árabes. O presidente-executivo da Abicab, Ubiracy Fonseca, destacou que “absorvemos recentemente o cacau fino e o ‘tree e bean to bar’ (da árvore e do grão à barra) em nosso Projeto Brasil Sweets & Snacks. Estamos construindo um planejamento estratégico para 2023/2024 e a ideia é inserir um maior número de ações de promoção comercial. Queremos levar empresas brasileiras para exportar e/ou promover a imagem do cacau fino brasileiro no mundo”, afirmou.

Publicações relacionadas