Comércio registra queda de 0,3% em outubro, diz IBGE | A TARDE
Atarde > Economia

Comércio registra queda de 0,3% em outubro, diz IBGE

O cenário nacional aponta uma queda de -0,3% frente a setembro

Publicado quinta-feira, 14 de dezembro de 2023 às 17:34 h | Autor: Da Redação
Em nível geral, a média móvel trimestral foi de 0,1%
Em nível geral, a média móvel trimestral foi de 0,1% -

A Bahia registrou em outubro alta de 1,9% nas vendas do comércio. Por outro lado, o cenário nacional aponta uma queda de -0,3% frente a setembro, na série com ajuste sazonal, após crescer 0,5% no mês anterior.

Em nível geral, a média móvel trimestral foi de 0,1%. Quando aplicada a série sem ajuste sazonal, o comércio varejista variou 0,2% frente a outubro de 2022, quinto resultado positivo consecutivo. No ano, o varejo acumula alta de 1,6% em relação ao mesmo período de 2022. O acumulado dos últimos doze meses foi de 1,5%.

O volume de vendas no comércio varejista ampliado, que inclui veículos, motos, partes e peças, material de construção e atacado especializado em produtos alimentícios, bebidas e fumo, caiu -0,4% frente ao mês imediatamente anterior, na série sem ajuste sazonal. A média móvel trimestral para o varejo ampliado foi de 0,1% no trimestre encerrado em outubro de 2023. Na série sem ajuste sazonal, o varejo ampliado cresceu 2,5% frente a outubro de 2022, oitavo resultado positivo consecutivo.

O acumulado no ano foi de 2,4%, e, em doze meses, de 1,8%.

A variação de -0,3% no volume de vendas do comércio varejista na passagem de setembro para outubro de 2023, na série com ajuste sazonal, teve predominância de taxas negativas, atingindo cinco das oito atividades pesquisadas: Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-5,7%), Tecidos, vestuário e calçados (-1,9%), Hiper, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-0,8%), Combustíveis e lubrificantes (-0,7%) e Móveis e eletrodomésticos (-0,1%).

Por outro lado, entre setembro e outubro de 2023, três dos oito grupamentos pesquisados mostraram alta: Livros, jornais, revistas e papelaria (2,8%), Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (1,4%) e Outros artigos de uso pessoal e doméstico (0,2%). Já o comércio varejista ampliado apresentou dois resultados positivos: Veículos e motos, partes e peças, com 0,3% e Material de construção, com 2,8%.

Publicações relacionadas