adblock ativo

Crise aérea é usada para defender trem-bala Rio-SP

Publicado sexta-feira, 29 de junho de 2007 às 12:33 h | Atualizado em 29/06/2007, 12:33 | Autor: Agencia Estado
adblock ativo

A crise do setor aéreo está sendo usada como argumento de defesa do trem-bala (ou trem rápido de passageiros) entre Rio e São Paulo. Os atrasos enfrentados pelos passageiros nos aeroportos foram citados várias vezes em seminário realizado hoje na sede do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no Rio, para justificar a emergência de investimentos no transporte sobre trilhos no País. A Agência de Desenvolvimento de Trens Rápidos entre Municípios (ADTrem), ONG que inclui várias empresas como associadas e que tem como objetivo desenvolver a "cultura do trem rápido" no Brasil, iniciou o evento com a transmissão de um filme que mostra várias cenas de atrasos nos aeroportos.

O presidente da ADTrem, Guilherme Quintella, disse que o trem rápido será fundamental para permitir a pontualidade dos passageiros que trafegam entre as duas cidades, mas a atração de investidores externos para o projeto dependerá de detalhamentos técnicos eficientes, com projeção de demanda, custos e retorno do empreendimento para a sociedade.

Segundo ele, hoje há no mundo mais de 200 projetos de trens de alta velocidade e dois deles estão sendo desenvolvidos no Brasil, que são o trem entre Rio de Janeiro e São Paulo e entre Campinas e São Paulo. Quintella explicou que os projetos ainda não chegaram em nível de detalhamento, estão sendo construídos, mas serão fundamentais para atrair os financiamentos que, conforme ele, estão disponíveis em vários países para o projeto. A ADTrem inclui associados como Siemens, Bombardier, Alstom e Ernst & Young.

adblock ativo

Publicações relacionadas