adblock ativo

Devedores têm chance de limpar nome com até 50% de desconto

Publicado quinta-feira, 15 de novembro de 2012 às 20:49 h | Atualizado em 15/11/2012, 20:49 | Autor: Donaldson Gomes
adblock ativo

Se depender do varejo baiano, os 560 mil baianos inscritos no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) terão um Natal de muitas compras. De olho nos R$ 5,5 bilhões que o 13º salário irá injetar na economia local no final deste mês, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) vai oferecer aos inadimplentes a oportunidade de negociar as dívidas e voltar a consumir para as festas de fim de ano.

A partir da próxima quinta-feira, os consumidores terão a chance de limpar o nome na praça com descontos que podem chegar a 100% nos juros e multas no Feirão do Nome Limpo. O abatimento pode atingir até 50% do valor principal da dívida. O feirão acontece de 22 de novembro a 2 de dezembro no Centro de Convenções. "Nós temos certeza de que os recursos do décimo terceiro vão ajudar os consumidores a amortizar as suas dívidas", destaca  o superintendente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Salvador, Carlos Roberto Oliveira.

A primeira parcela do décimo precisa ser paga aos beneficiários até o dia 30 de novembro. Na Bahia, segundo levantamento do  Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), mais de 4,4 milhões de pessoas devem receber os recursos extras.

"O prazo do feirão, até o dia 2 de dezembro, foi pensado justamente para que as pessoas tenham a oportunidade de utilizar o décimo terceiro e até mesmo o salário, para aqueles que recebem no primeiro dia do mês", explica Oliveira.

A previsão da CDL e da Federação da Câmara de Dirigentes Lojistas da Bahia (FCDL-BA), os organizadores do evento, é que 50 mil pessoas iniciem negociação de dívidas durante o feirão. Na edição do ano passado, 40 mil pessoas iniciaram negociações e mais de 26 mil conseguiram limpar os nomes durante o evento.
"Estamos ampliando bastante a nossa capacidade de atendimento, oferecendo mais espaço", diz Oliveira.

Onze empresas estarão presentes no Feirão do Nome Limpo. Entretanto, a CDL recomenda aos consumidores que busquem a negociação com o credor, ainda que a empresa não esteja participando do feirão. "Além da época propícia para a recuperação de crédito, existe uma recomendação para que mesmo as empresas ausentes no mutirão flexibilizem as condições", diz o superintendente da CDL.

De acordo com o presidente do Sindicato do Comércio Varejista da Bahia (Sindilojas-BA), Paulo Motta, a inadimplência não deverá ser um impeditivo para o aumento das vendas no período. "Existe uma tendência de o consumidor se movimentar para recuperar o crédito. Nós estamos com a expectativa de um crescimento de 6% em dezembro, na comparação com o ano passado", diz.

Segundo Motta, o varejo deverá ter um crescimento menor que o verificado em 2011, de 9,3%, por conta da conjuntura econômica. "As projeções de crescimento da economia brasileira para este ano não passam de 1,5%. Crescer 6% neste contexto é positivo", acredita.

Prioridades no gasto - Para o professor do curso de administração da Anhembi Morumbi, Osmar Pastore, o recurso extra do décimo terceiro precisa ser utilizado com planejamento pelos beneficiados. "As pessoas precisam ter consciência de que em tempos de economia mundial se realinhando tanto nos Estados Unidos como na China - o que obviamente também reflete aqui no Brasil -, o dinheiro extra do décimo terceiro salário precisa ser bem direcionado", adverte.

Para o especialista, o importante é que os consumidores definam uma escala de prioridades na utilização dos recursos. Em primeiro lugar na lista de prioridades aparece a quitação das dívidas. Ele explica que os credores sabem que o consumidor tem dinheiro extra e pode tentar tirar vantagem da situação. "É preciso negociar bastante para conseguir juros reduzidos", diz. Quem puder, deve antecipar pagamentos que ainda não venceram, indica.

adblock ativo

Publicações relacionadas