adblock ativo

Dólar cai 2,34% e atinge mínima desde 5 de novembro

Publicado segunda-feira, 04 de maio de 2009 às 16:55 h | Atualizado em 04/05/2009, 17:04 | Autor: Agência Reuters
adblock ativo

O dólar fechou em queda de mais de 2 por cento ante o real nesta segunda-feira, a reboque da euforia de investidores nas bolsas de valores globais e por dados positivos da balança comercial brasileira.



A moeda norte-americana encerrou a sessão em baixa de 2,34 por cento, a 2,131 reais para venda. É a menor cotação de fechamento desde 5 de novembro.



O mercado também acompanhou um movimento global de queda do dólar. Frente a uma cesta com as principais moedas, a divisa norte-americana recuava quase 1 por cento.



Analistas ressaltaram o retorno de investidores estrangeiros à Bovespa, por apostas de que os números da economia brasileira têm demonstrado mais estabilidade perante a crise financeira.



"O mercado já estava vindo num movimento de volta ao risco. Este momento reflete-se na volta dos investidores (estrangeiros) à Bovespa", avaliou Luís Piason, gerente de operações de câmbio da corretora Concórdia.



O analista ressaltou o bom humor nas bolsas de valores dos Estados Unidos, que subiam cerca de 2 por cento perto do fechamento, à medida que investidores apostavam que os resultados dos testes de estresse feitos pelo governo norte-americano não exigirão que os bancos levantem tanto capital quanto inicialmente se pensava.



Dados do setor imobiliário dos EUA também alimentavam esperanças de que a recessão pode estar diminuindo. Os números mostraram que as vendas pendentes de casas subiram inesperadamente em março.



No Brasil, o principal índice da Bovespa atingia o maior nível desde setembro e saltava mais de 6 por cento.



BALANÇA COMERCIAL



Piason considerou que o cenário "mais desanuviado" favorece uma procura maior por outros ativos que não o dólar. Ele ponderou, no entanto, que ainda deve haver cautela.



"O mercado pode realizar lucros por conta das fortes altas de hoje", disse.



Tarcísio Rodrigues, diretor de câmbio do Banco Paulista, lembrou os dados da balança comercial brasileira, que registrou em abril superávit de 3,712 bilhões de dólares e acumulou no ano saldo positivo de 6,722 bilhões de dólares --50 por cento superior ao do mesmo período de 2008.



De acordo com os últimos dados disponibilizados pela BM&F, o volume de dólar negociado no segmento à vista girava em torno de 2,5 bilhões de dólares.

adblock ativo

Publicações relacionadas