adblock ativo

Estudo "O Real Custo das Fraudes" revela que a fraude custa 3,86 vezes o valor da transação perdida, para cada transação fraudulenta no Brasil

Publicado às | Atualizado em 06/12/2021, 15:37 | Autor: PR Newswire
adblock ativo

BRASIL, 21 de outubro de 2021 /PRNewswire/ -- A LexisNexis® Risk Solutions publicou o seu Relatório "O Real Custo das Fraude" para a América Latina 2021. O estudo traz dados de uma pesquisa com 454 executivos de risco e fraude no varejo / e-commerce, serviços financeiros e empréstimos, incluindo 91 empresas no Brasil. Agora, cada transação fraudulenta custa em média 3,68 vezes o valor da transação perdida na América Latina, em comparação com 3,46 em 2019. Os entrevistados indicam que as instituições financeiras e o e-commerce são os mais afetados, devido ao rápido crescimento de transações digitais durante a pandemia.
O LexisNexis Fraud Multiplier℠, que mede o valor total da perda que uma empresa sofre com base no valor real em dólares de uma transação fraudulenta, descobriu que os comerciantes no Brasil em 2021 pagaram 3,86 vezes o valor de cada ação fraudulenta, em comparação com 3,61 em 2019. O custo da fraude inclui perdas relacionadas ao valor nominal da transação pela qual as empresas são responsáveis, bem como taxas e juros incorridos, penalidades e honorários advocatícios, mão de obra, custos de investigação e custos externos de recuperação.
Vários fatores contribuíram para o aumento acentuado dos custos, como os fraudadores visando empresas financeiras para obter contas e a clonagem de cartões; crescimento do uso de contatos e métodos de pagamento digitais por parte dos consumidores, o que resultou em mais perdas por fraude; e o aumento das transações por meio de canais em dispositivos móveis, que criaram problemas de fraude de identidade.
Os resultados do estudo indicam que muitos e-commerces estavam despreparados para o rápido crescimento de transações digitais provocadas pela pandemia. O uso limitado ou o acesso dos comerciantes a soluções que avaliam identidades digitais e risco de transações resultou em um menor número de identidades sintéticas desmascaradas, visando proteção contra crimes cibernéticos.
A fraude de identidade é uma preocupação, especialmente nos canais móveis. O percentual de custos de fraudes para instituições financeiras atribuídos aos canais móveis cresceu em alguns mercados (México, Colômbia e Argentina) e também é alto para os e-commerces no Brasil, Chile e Colômbia.
Principais conclusões do relatório 2021 sobre o Real Custo da Fraude na América Latina:
O volume de transações com pagamentos digitais aumentou - As transações envolvendo métodos de pagamento digital cresceram com relação a todos os métodos de pagamento no Brasil. As empresas que aceitam cartões de crédito e débito aumentaram em 35% e 24%, respectivamente, em comparação a 28% e 18%, respectivamente, em 2019. As transações online em dispositivos móveis cresceram rapidamente no Brasil - O volume médio de transações, por meio de navegadores web cresceu de 29% para 35% e por meio de canais em dispositivos móveis de 19% para 25%. Da mesma forma, esses canais remotos são responsáveis por mais perdas totais por fraude, já que a porcentagem média atribuída às transações móveis entre varejistas cresceu de 29% em 2019 para 32% em 2021. Já a porcentagem média atribuída às transações web entre empresas de serviços financeiros diminuiu de 39% em 2019 para 34% em 2021. Além disso, o número de empresas que oferecem comércio em dispositivos móveis aumentou de 72% em 2019 para 84% em 2021. A pandemia iniciou um crescimento nas empresas brasileiras que oferecem pagamentos sem contato, e o canal online representa o mais significativo custo de fraude entre empresas de serviços financeiros. Os navegadores web em dispositivos móveis são um dos principais contribuintes para o custo de fraude em canais móveis - Os entrevistados atribuem 36% do custo de fraude proveniente de navegadores web em dispositivos móveis, com 46% destes ocorrendo no e-commerce. A fraude relacionada à identidade é uma das principais ameaças e desafios - os comerciantes, varejistas e instituições financeiras na América Latina apontam para os desafios dos canais quanto às transações remotas, que envolvam novos métodos de pagamento, avaliação de risco de dispositivos e transações. Além disso, existe a preocupação de equilibrar os esforços de detecção e prevenção de fraudes para fornecer uma experiência sem fricção para o cliente, uma vez que a rotatividade é comum quando o esforço do cliente aumenta. "Os comerciantes e empresas de serviços financeiros da América Latina podem ajudar a prevenir fraudes, reduzir o custo da fraude e equilibrar melhor o atrito com o cliente por meio das melhores práticas de segurança cibernética, que incluem uma abordagem de solução em várias camadas", destaca Rafael Costa Abreu, Diretor de Fraude e Identidade da LexisNexis Risk Solutions. "O estudo mostra que aqueles que seguem esta abordagem enfrentam menos desafios e perdem 3,44 vezes o valor para cada transação fraudulenta, em comparação com 3,85 vezes o valor perdido para as empresas que usam tecnologia em uma base ad hoc"
Para mais informações sobre o estudo Relatório "O Real Custo das Fraudes" para a América Latina 2021, por favor, acesse aqui.
Sobre a LexisNexis Risk Solutions
A LexisNexis® Risk Solutions aproveita o poder dos dados e análises avançadas para fornecer percepções, que ajudam as empresas e entidades governamentais a reduzir riscos, e a melhorar suas decisões para beneficiar as pessoas em todo o mundo. Fornecemos soluções de dados e tecnologia para uma ampla gama de setores, incluindo os de seguros, serviços financeiros, saúde e governo. Com sede na área metropolitana de Atlanta, Geórgia e EE.UU, temos escritórios ao redor do mundo e fazemos parte da RELX (LSE: REL/NYSE: RELX), um provedor global de análises baseadas em informações e ferramentas de decisão para profissionais e clientes corporativos. Para obter mais informações, visite www.risk.lexisnexis.com e www.relx.com.
Logo - https://mma.prnewswire.com/media/494562/LexisNexis_Risk_Solutions_Logo.jpg
FONTE LexisNexis Risk Solutions

adblock ativo

Publicações relacionadas