Setor de franquias apresenta recuperação no 2º trimestre

Publicado terça-feira, 14 de setembro de 2021 às 06:04 h | Atualizado em 13/09/2021, 22:53 | Autor: Marjorie Moura

O setor de franquias apresentou recuperação no 2º trimestre deste ano, mantendo a trajetória rumo a níveis pré-pandemia, segundo a Pesquisa Trimestral de Desempenho realizada pela Associação Brasileira de Franchising (ABF). Na região Nordeste, o cenário é semelhante e aponta um crescimento de 50,6% no faturamento geral das redes de franquias, cuja receita alcançou mais de R$ 6,2 bilhões no período pesquisado. Na Bahia existem atualmente 6.217 unidades em 12 segmentos, com crescimento médio de 4,3% e de 40,8% no faturamento total que chegou a quase R$ 1,4 bilhão.

Segundo o estudo, feito em parceria com a empresa de pesquisas AGP, o faturamento na região Nordeste no 2º tri chegou a R$ 41,140 bilhões de abril a junho deste ano. A variação foi de -35,7% de 2019 para 2020 e de +48,4% para 2021. A receita do franchising mostra, portanto, recuperação significativa no trimestre pesquisado, quando comparado ao ápice dos efeitos da pandemia (em 2020). O resultado é bem superior à variação do ano passado frente a 2019, que foi de -31%. Já em número de unidades, o mercado nordestino expandiu 7,9%, com um total de 25.457 operações.

Para o diretor da Regional da ABF Nordeste, Candido Espinheira, o mercado local se adequou ao novo cenário e está respondendo positivamente. "O mercado de franchising nordestino é resiliente e se adaptou rapidamente aos novos tempos. Resistimos firmes e dignos, provando com profissionalismo e inteligência a capacidade das redes de franquias e isso evitou danos maiores. Com a flexibilização das medidas de distanciamento social e a melhora, mesmo que gradual, em alguns indicadores econômicos, sentimos um impacto positivo na economia e com isso vamos em frente", afirmou o diretor.

Por segmentos

A pesquisa da ABF aponta alguns segmentos que se destacaram na região Nordeste no 2º trimestre analisado frente a igual período de 2020. Os mais impactados pela pandemia, Entretenimento e Lazer, Hotelaria e Turismo (na Bahia ainda ocorreu redução de 17,6%) que começaram sua recuperação nos meses pesquisados, com variações positivas superiores a 800% e 600%, respectivamente. Ambos foram beneficiados por medidas como a reabertura das atividades econômicas não essenciais e o avanço da vacinação, além de haver uma forte demanda reprimida. É importante ressaltar, porém, que esse resultado foi conseguido em relação a uma base muito deprimida no 2º tri de 2020.

Em relação aos empregos, de acordo com a pesquisa, o setor no Nordeste gerou mais de 194 mil empregos diretos nos meses de abril, maio e junho. Isso representou um crescimento de 0,4% frente ao mesmo período do ano passado. Mas na Bahia o resultado ainda foi negativo em relação ao mesmo período de 2020, com redução de 7,5% na geração de empregos.

A maioria dos pontos atua nos mercados de Saúde, Beleza e Bem-Estar (24% no Nordeste e 25,3% na Bahia) Serviços e Outros Negócios (17,2% no Nordeste e 19,5% na Bahia), e Alimentação Food Service (14,6% no Nordeste e 14,1% na Bahia), o que demonstra a diversidade e a versatilidade do franchising nordestino.

A ABF é uma entidade sem fins lucrativos, fundada em 1987, que representa oficialmente o sistema de franquias brasileiro. O setor registra um faturamento anual superior a R$ 167 bilhões, mais de 156 mil unidades e cerca de 2.600 marcas de franquias espalhadas por todo o Brasil. Além disso, o franchising brasileiro responde por aproximadamente 2,7% do PIB e emprega diretamente mais de 1,2 milhão de trabalhadores.

Publicações relacionadas