Silva e Luna diz que Petrobras não pode fazer política

Substituído no comando a estatal, general da reserva afirmou que empresa tem de seguir a legislação vigente

Publicado terça-feira, 29 de março de 2022 às 16:13 h | Atualizado em 29/03/2022, 16:17 | Autor: Da Redação
Presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, vai deixar o cargo no dia 13 de abril
Presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, vai deixar o cargo no dia 13 de abril -

O presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, que vai deixar o cargo no dia 13 de abril para dar lugar ao economista Adriano Pires, afirmou que a estatal não pode fazer política pública com os preços dos combustíveis, de acordo com a legislação, e "menos ainda" política partidária.

"Tem responsabilidade social? Tem. Pode fazer política pública? Não. Pode fazer política partidária? Menos ainda", afirmou Silva e Luna em um seminário no Superior Tribunal Militar (STM), nesta terça-feira, 29.

O general da reserva disse ainda que, devido aos padrões da empresa, é impossível que a Petrobras diminua artificialmente o preço dos combustíveis.

"Por que não baixa preço do petróleo, por que não faz política pública? Por causa disso, porque é lei. Petrobras é empresa pública, classificada como economia mista", pontuou. 

"Em termos de legislação, são quatro leis. A Constituição diz que ela deve atuar como empresa privada. Lei do petróleo diz que ela deve praticar preço do mercado", completou Silva e Luna.

Publicações relacionadas