Volkswagen e Mercedes apresentam modelos elétricos para o mercado | A TARDE
Atarde > Economia

Volkswagen e Mercedes apresentam modelos elétricos para o mercado

Fabricantes de automóveis irão competir com Tesla e chineses

Publicado segunda-feira, 17 de abril de 2023 às 17:01 h | Autor: AFP
Fabricantes de automóveis divulgam modelos elétricos
Fabricantes de automóveis divulgam modelos elétricos -

Os fabricantes de automóveis Volkswagen e Mercedes apresentaram nesta segunda-feira (17) na China dois novos modelos elétricos de alta categoria, como parte de seus esforços para competir nesse setor contra a Tesla e as empresas chinesas.

O grupo Volkswagen apresentou seu novo sedan ID.7, “o primeiro modelo elétrico para a classe média alta”, enquanto a Mercedes revelou seu “primeiro modelo totalmente elétrico” da marca de limusines Maybach, segundo comunicados.

Os anúncios chegam um dia antes do início do salão do automóvel de Xangai. A China é o maior mercado automotivo do mundo e também é onde as vendas de veículos elétricos mais aumentam.

O ID.7 substituirá o automóvel Passat e terá uma autonomia de "até 700 quilômetros", detalhou a Volkswagen. Estará disponível nos mercados chinês e europeu "ainda este ano" e na América do Norte "em 2024", com um preço "de no mínimo 60.000 euros" (cerca de 324.000 reais) .

A Mercedes, por sua vez, não detalhou nem a data de estreia nem o preço de seu novo modelo Maybach, a marca que simboliza o luxo e o prestígio do construtor alemão.

"Com esses novos modelos, Volkswagen e Mercedes querem mostrar que são competitivos nos setores do futuro, em particular a mobilidade elétrica", explica à AFP Stefan Bratzel, diretor do Center of Automotive Management.

A China representa atualmente 40% das vendas da Volkswagen, onde o grupo vende principalmente motores tradicionais.

No setor elétrico, "os fabricantes alemães ainda estão abaixo da média em relação à concorrência", destaca Bratzel.

Segundo dados citados pelo especialista, a Volkswagen obteve apenas 3,1% do mercado elétrico na China no ano passado, muito menos que as marcas chinesas BYD (18%), SAIC (incluindo Wuling) com 11,9% e a americana Tesla (8,7%).

Publicações relacionadas