Instituições de ensino superior são acionadas para sanar irregularidades

Publicado sexta-feira, 18 de outubro de 2019 às 14:07 h | Atualizado em 18/10/2019, 17:56 | Autor: Da Redação | Foto: Divulgação | MEC

O Ministério Publico do estado solicitou que a Justiça obrigue as empresas PADMA Consultoria, Pós-Graduação e Projetos Educacionais; e Educacional Acadêmico, mantenedora da Faculdade Logos Internacional, a diplomar os alunos que concluíram cursos de mestrado profissionalizante nas instituições. O pedido foi feito por meio da promotora de Justiça Joseane Suzart.

Além disso, o MP pede ainda que as unidades de ensino sejam obrigadas a devolver as dissertações originais defendidas, que ainda estão em posse das empresas.

A ação civil pública toma por base denúncias de alunos que teriam concluído, em 2016, o curso de Mestrado Profissionalizante em Ciência da Educação em Multidisciplinaridade e que apesar de aprovados, nunca receberam seus diplomas.

De acordo com a promotora, Joseane Suzart, os denunciantes contaram que, meses após a conclusão do curso, receberam, em duas oportunidades diferentes, diplomas “emitidos por instituições sem autorização do MEC” e, portanto, inválidos.

“Apos três anos sem conseguir os seus diplomas, esses alunos procuraram o MP, requerendo seus diplomas e dissertações, o que nos levou a mover a presente ação”, explicou a promotora de Justiça.

Publicações relacionadas