Menu
Pesquisa
Pesquisa
Busca interna do iBahia
HOME > EDUCAÇÃO
Ouvir Compartilhar no Whatsapp Compartilhar no Facebook Compartilhar no X Compartilhar no Email
24/08/2023 às 19:32 - há XX semanas | Autor: Gabriel Corrêa | Agência Brasil

EDUCAÇÃO

TCU aponta que deficiências técnicas atrasaram novo ensino médio

Auditoria apontou fragilidades no novo ensino médio na rede pública

Auditoria do Tribunal de Contas da União apontou fragilidades no novo ensino médio
Auditoria do Tribunal de Contas da União apontou fragilidades no novo ensino médio -

Uma auditoria do Tribunal de Contas da União apontou fragilidades no novo ensino médio na rede pública. De acordo com o TCU, houve atraso na implementação do programa em 2022, por causa de deficiências técnicas e operacionais, com alto risco de comprometimento da execução do programa. A auditoria teve a participação direta de tribunais de Contas de 15 estados.

O ministro do TCU Walton Alencar Rodrigues também apontou, em plenário, nessa quarta-feira (23), ausência de foco nos resultados das ações para implementação do novo ensino médio. Segundo o relatório, existia a possibilidade de redução das dotações orçamentárias e isso ameaçava a continuidade do projeto. Também foram verificadas falhas no monitoramento e avaliação, com baixa transparência e risco de ampliação das desigualdades educacionais.

Em consequência, o TCU determinou ao Ministério da Educação que implemente, em até seis meses, uma solução de monitoramento e avaliação do novo ensino médio. Ou seja, mecanismos de transparência. O MEC também deve colocar para funcionar, em até 60 dias, o Comitê de Monitoramento e Avaliação do Programa de Apoio ao Novo Ensino Médio (ProNEM).

Nesta semana, os secretários estaduais de Educação pediram que as mudanças no ensino médio ocorram apenas a partir de 2025. Em um posicionamento conjunto, eles argumentam que os ajustes e regulamentações seriam inviáveis para o ano letivo de 2024.

O novo ensino médio foi aprovado em 2017 e implementado no ano passado. O modelo foi alvo de críticas e, este ano, o governo federal se comprometeu em rever o projeto. No primeiro semestre foi aberta a Consulta Pública para Avaliação e Reestruturação da Política Nacional de Ensino Médio.

Os secretários estaduais também defenderam que cerca de 2 mil, das 3 mil horas do ensino médio, sejam dedicadas à formação geral básica e que os itinerários formativos sejam reduzidos de dez para dois. As propostas do MEC para o ensino médio ainda devem ser apresentadas no Congresso.

Assuntos relacionados

Novo Ensino Médio TCU

Compartilhe essa notícia com seus amigos

Compartilhar no Email Compartilhar no X Compartilhar no Facebook Compartilhar no Whatsapp

Tags:

Novo Ensino Médio TCU

Cidadão Repórter

Contribua para o portal com vídeos, áudios e textos sobre o que está acontecendo em seu bairro

ACESSAR

Assuntos relacionados

Novo Ensino Médio TCU

Publicações Relacionadas

A tarde play
Auditoria do Tribunal de Contas da União apontou fragilidades no novo ensino médio
Play

Lore Improta chama a atenção da filha: "Você brigou na escola?"

Auditoria do Tribunal de Contas da União apontou fragilidades no novo ensino médio
Play

Workshop do A TARDE Educação debate uso de tecnologia; assista ao vivo

Auditoria do Tribunal de Contas da União apontou fragilidades no novo ensino médio
Play

Governador destaca educação na abertura do ano letivo da rede estadual

Auditoria do Tribunal de Contas da União apontou fragilidades no novo ensino médio
Play

Ocupação da Ufba em ato por cotas completa 20 anos

x

Assine nossa newsletter e receba conteúdos especiais sobre a Bahia

Selecione abaixo temas de sua preferência e receba notificações personalizadas

BAHIA BBB 2024 CULTURA ECONOMIA ENTRETENIMENTO ESPORTES MUNICÍPIOS MÚSICA POLÍTICA