E-commerce com realidade aumentada e virtual é tendência para 2023 | A TARDE
Atarde > Empregos & Negócios

E-commerce com realidade aumentada e virtual é tendência para 2023

Universo deve atingir US$ 171 bilhões de dólares no Brasil, de acordo com informações da Visa

Publicado sexta-feira, 11 de novembro de 2022 às 14:35 h | Atualizado em 11/11/2022, 15:56 | Autor: Da Redação
Brasil ocupa a primeira posição no ranking de compras online da América Latina
Brasil ocupa a primeira posição no ranking de compras online da América Latina -

A tendência para 2023 é um e-commerce de experiências com realidade aumentada, realidade virtual, adequação à LGPD e uma jornada de compras ágil, híbrida e personalizada. Esse universo deve atingir US$ 171 bilhões de dólares no Brasil, de acordo com informações da Visa.

Segundo uma pesquisa da CupomValido, o país ocupa a primeira posição no ranking de compras online da América Latina. No próximo ano, o comércio eletrônico deve contar com logística mais ágil, atendimento ao cliente por chat e novos serviços por assinatura.

Os estudos da Capterra, plataforma de comparação de softwares, identificou alguns comportamentos a partir da análise de múltiplas pesquisas realizadas no período de dezembro/21 a setembro/22 e concluiu possíveis tendências para o e-commerce no Brasil.

Conforme o levantamento, algumas das tendências que podem ditar o comércio eletrônico no próximo ano são:

Mais consumidores farão compras via mobile

Na pesquisa Mobile Commerce, conduzida pelo Capterra, 6 de cada 10 consumidores online (64%) se definiram como Mobile First. Na mesma pesquisa, os dados do Capterra apontaram que os respondentes geralmente usam mais celular do que computador para realizar compras online. Isso significa que o uso do celular continuará sendo o principal canal para a realização de compras online. E para 65% dos entrevistados, a facilidade de acesso é o principal diferencial para essa preferência.

Atendimento ao cliente por chat deve ganhar mais força

Outro estudo do Capterra, sobre Atendimento ao Cliente, revelou que 48% dos entrevistados buscariam como primeiro método de suporte e assistência, o chat ao vivo com um agente. O telefone seria a escolha de 33%. Isso representa que o suporte via bate-papo está em ascensão, desbancando outros formatos mais tradicionais.

Entregas podem ficar cada vez mais rápidas

Na parte de logística, os consumidores continuarão esperando por menores prazos para suas entregas. No levantamento do Capterra, intitulado Quick Commerce, 95% dos consumidores gostariam de reduzir os prazos de entregas. E para 49% dos respondentes, a rapidez é o item mais importante, desbancando fatores como preço, para 33% dos entrevistados.

Serviços ou produtos por assinatura devem se tornar mais comuns

Outra forte tendência é o crescimento da chamada Economia da Recorrência, nomenclatura utilizada para definir os serviços com base em subscrições, como plataformas de streaming ou Clubes de Assinaturas. A pesquisa do Capterra sobre o assunto mostrou que 86% dos respondentes se mostraram dispostos a realizar uma assinatura caso uma marca que gostam passassem a oferecer produtos ou serviços dentro deste modelo.

Para Marcela Gava, Analista de Conteúdo do Capterra, “as pesquisas realizadas ao longo do ano, mostram diretrizes importantes sobre o comportamento desse novo consumidor que a cada ano está mais exigente. O objetivo é que esses dados possam inspirar os negócios e ajudar as empresas a tomarem as melhores decisões num mercado em constante mudança, seja no âmbito tecnológico ou de demandas do usuário”, finaliza.

Todos os dados das recentes pesquisas citadas nesse release podem ser analisados no blog do Capterra.

Sobre o Capterra: Fundado em 1999, o Capterra tem ajudado empresas em todo o mundo a encontrar o software certo para as suas necessidades. O alcance global dos produtos disponíveis no Capterra, as avaliações de outros usuários, as pesquisas independentes e as ferramentas de comparação oferecem uma experiência confiável e segura de busca de software para mais de cinco milhões de compradores todos os meses. 

Publicações relacionadas

MAIS LIDAS