Inscrições abertas: Copa do Mundo de Empreendedorismo vai apoiar negócios inovadores

Publicado domingo, 13 de junho de 2021 às 06:00 h | Atualizado em 12/06/2021, 16:13 | Autor: Fábio Bittencourt

Estão abertas até 27 de junho as inscrições para a terceira edição da Copa do Mundo de Empreendedorismo (Entrepreneurship World Cup, em inglês). O torneiro tem o objetivo de identificar e apoiar negócios inovadores – em diferentes áreas de atuação e estágio de desenvolvimento – e vai distribuir até US$ 1,75 milhão em prêmios, entre dinheiro, oportunidades de investimento e outras vantagens.

Aqui no Brasil, pela primeira vez, a competição será organizada pela Rede+, grupo com foco em inovação corporativa e aceleração de startups, baseada em Salvador. De acordo com o CEO, Rodrigo Paolilo, a Rede+ tem “o propósito de ajudar o mundo através do empreendedorismo inovador, contribuindo tanto com organizações mais maduras no processo de reinvenção, e também startups, formando, investindo e mentorando”.

“O evento busca incentivar empreendedores inovadores em todo o mundo, são mais de 200 países participantes. A ideia é dar visibilidade, formação, conexão, benefícios e investimento para negócios em diferentes estágios no mundo inteiro, conectando em uma rede global”, conta Paolilo.

“Qualquer negócio inovador, de diferentes estágios, pode participar. Desde quem está na fase saindo da ideia para a operação. Para quem já está operando, ou crescendo bem. Os prêmios e a competição são divididos por esses estágios. E a gente avalia esse potencial para fazer a seletiva nacional primeiro, em julho. E aí, em outubro, a gente vai levar as melhores do Brasil para competir no cenário global, em um evento que vai acontecer na Arábia Saudita, em novembro”, fala o CEO.

A expectativa é de até 300 inscrições. Entre 10 e 12 participantes vão à seletiva nacional, e três devem ir à etapa final, ele detalha. “Vamos avaliar produto,  solução, a capacidade de inovação, crescimento, time, potencial de impacto e previsibilidade de receita, de ganhos. É diferenciação e capacidade de se colocar à prova em um mercado global”, diz.

O empreendedor na área de impacto social José Rubinger foi um dos vencedores da etapa final da edição 2020 da Copa do Mundo de Empreendedorismo. Ele é fundador da mineira Tix Tecnologia Assistida, que desenvolve ferramentas de comunicação alternativa e estímulo cognitivo para pessoas com deficiência.

 O carro-chefe é um teclado inteligente multifuncional. Tem ainda um software que permite a criação de atividades psicomotoras com finalidades pedagógicas ou terapêuticas. As soluções (ou kits) estão em mais de 400 escolas brasileiras e 150 centros de reabilitação.

Criada em 2009, desde 2018 a startup está internacionalizada e atua hoje nos Estados Unidos, Chile, Emirados Árabes e faz plano de entrar no Canadá.  Rubinger, 50, conta que a empresa está na fase de “crescimento”.

“Não nascemos startup, mas com o intuito de ajudar cegos a pegarem ônibus. Só entre 2012 e 2013, após ganharmos prêmio em inovação do Financiadora de Estudos e Projetos, vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia (Finep), foi que abriu-se uma perspectiva”, disse, de Abu Dhabi. 

Geração de riqueza

Para o coordenador de Negócios Inovadores do Sebrae Bahia, Tauan Reis, desafios de aceleração, maratonas e outras ações na área têm o objetivo de “fomentar a cultura da inovação”. “Inovar é usar a criatividade para gerar riqueza, que traduzida gera resultado. Por meio de produto, serviço, processo”.

Foi a conquista de uma bolsa de iniciação científica em 2018 que levou o engenheiro da computação em formação o baiano William Rocha, 30, a apostar na ideia de drones e câmeras com reconhecimento facial, até chegar a uma inteligência artificial.

Nasce então  a startup Colmeia Visão Computacional, atualmente na fase “pré-operacional, construindo o MVP (sigla de mínimo produto viável)”, diz.

Especialista em tecnologias de reciclagem, o fundador e líder da GreenPlat, Chicko Souza, é vencedor da etapa 2020 da Copa do Mundo de Empreendedorismo no Brasil, e  outros 25 prêmios nacionais e internacionais. A startup desenvolve software de arquitetura que abrange a  cadeia produtiva, da extração da matéria-prima à destinação final.  

Com o sistema, empresas de qualquer segmento podem realizar o controle de produção, rastreio de transporte, descarte de resíduos e logística reversa, com dados em tempo real.

“As competições servem como validações e trazem maior exposição, ajudando na conquista de novos clientes, expansão e busca por investimentos. Uma competição deste nível, também gera credibilidade”, fala.

Publicações relacionadas