SuperBahia encerra 11ª edição com R$ 350 milhões em negócios gerados

Público estimado no evento chegou a aproximadamente 14,5 mil pessoas

Publicado sexta-feira, 15 de julho de 2022 às 17:04 h | Atualizado em 15/07/2022, 17:09 | Autor: Da Redação
SuperBahia ficou suspensa por dois anos por causa da pandemia de Covid-19
SuperBahia ficou suspensa por dois anos por causa da pandemia de Covid-19 -

A SuperBahia, maior feira de varejo de alimentos do Norte/Nordeste, encerrou na quinta-feira, 14, a 11ª edição com sucesso de público e negócios no Centro de Convenções de Salvador, na Boca do Rio. O evento ficou suspenso por dois anos por causa da pandemia de Covid-19.

De acordo com a Associação Bahiana de Supermercados (Abase), o volume de negócios gerados durante o evento chegou a R$ 350 milhões e o público estimado em aproximadamente 14,5 mil pessoas. 

O evento aconteceu entre os dias 12 e 14 de julho. O superintendente da Abase, Mauro Rocha, fez um balanço da SuperBahia. “Sem dúvida, a maior e melhor edição da feira. Conseguimos vencer todos os desafios. Não foi nada fácil realizar esta feira durante a pandemia. Eu me sinto gratificado em ver as visitas aos estandes e saber que a maioria dos expositores ficou satisfeita com a frequência e com os negócios realizados”, afirma.

Novos Negócios

A feira foi uma oportunidade para os mais de 100 expositores colocarem suas marcas à mostra e fecharem negócios. Para Giuliano Nascimento, diretor da Giusoft Tecnologia, cujo destaque foi o lançamento de um robô-drone, a expectativa para todo o evento foi atingida já no primeiro dia.

“O segundo dia de feira ainda conseguiu ser melhor. Foi muito mais do que a gente esperava. Conseguimos encontrar um perfil de público, tanto para parceiros quanto para clientes, além de novas parcerias”, diz Giuliano.

Outro destaque da feira foi o caminhão 100% elétrico, exposto no estande da Bravo Caminhões. O gerente de vendas, Fernando Biondi, definiu a SuperBahia como “fundamental para alavancar os negócios”.

“A expectativa foi o dobro do que nós imaginávamos. Cada dia foi melhor do que o outro, e o nosso veículo foi um sucesso absoluto. Foi uma apresentação para o povo baiano desta tendência de mercado”, avalia.

Participação argentina

A comitiva argentina marcou presença com 13 empresas, sendo nove delas voltadas para o setor vinícola, de olho na expansão destes produtos no mercado baiano. Em 2021, as exportações argentinas de vinho tinto para a Bahia tiveram um aumento anual de 68%, a maior quantidade exportada desde 2014. A Argentina é o principal fornecedor de espumantes para a Bahia e, em 2021, teve uma participação de 49,26%.

“A presença do vinho argentino [na Bahia] já é uma realidade. Na semana passada, quando fui ao supermercado, eu vi uma oferta de vinhos argentinos que me deixou surpreso”, constata o Cônsul Geral da Argentina na Bahia, Agustín Nuñes. Sobre o perfil do público baiano consumidor do vinho, o cônsul disse que os baianos gostam do vinho para celebrar, nem muito doce, nem muito seco. 

“O baiano é um povo feliz, que quer beber e celebrar, sem precisar fazer uma cerimônia. O perfil é de um vinho mais fresco, para socializar, sem pensar muito na raridade e o preço que pagou. É a relação custo-benefício”, assegura Agustín.

Doações de alimentos

Ao fim do evento, os expositores de produtos alimentícios vão doar os alimentos para instituições beneficentes. Entre elas, o Núcleo de Apoio ao Combate do Câncer Infantil (Nacci), e o Lar Vida, em Salvador, além da Associação Casa De Caridade Adolfo Bezerra De Menezes (ACCABEM), em Lauro de Freitas.

A iniciativa é uma ação conjunta da Associação Bahiana de Supermercados (Abase) e da Associação dos Agentes de Distribuição da Bahia (Asdab). O objetivo é propor aos expositores da SuperBahia um olhar mais solidário e de compaixão para com as pessoas e instituições carentes.

Os mais de 100 expositores da feira devem aderir à proposta e garantir a doação dos alimentos excedentes. Os produtos serão entregues a partir da próxima semana nas sedes das instituições.

Publicações relacionadas