Anvisa identifica responsável por falsificar documentos de jogadores argentinos

Publicado segunda-feira, 06 de setembro de 2021 às 11:41 h | Atualizado em 06/09/2021, 11:46 | Autor: Da Redação

Um documento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aponta que Fernando Ariel Batista, membro da delegação da Seleção Argentina, foi o responsável por falsificar os documentos de quatro jogadores argentinos para permitir a entrada deles no Brasil.

>> Fifa lamenta suspensão de Brasil x Argentina e promete resposta

O goleiro Emiliano Martínez (Aston Villa), os zagueiros Buendia (Aston Villa) e Romero (Tottenham) e o meia Lo Celso (Tottenham) atuam na Inglaterra e estiveram no Reino Unido nos últimos 14 dias. Por isso, só poderiam entrar no Brasil se cumprissem um período de 14 dias de quarentena. A medida contra a disseminação da Covid-19 também vale para viajantes que tenham passado por África do Sul e Índia.

O episódio resultou na interrupção do jogo disputado entre Brasil e Argentina pelas Eliminatórias, no domingo, 5, em São Paulo. Por volta dos 5 minutos de partida, agentes da Anvisa e da Polícia Federal entraram em campo para retirar os quatro jogadores. A seleção visitante decidiu sair de campo e abandonar a partida.

De acordo com a Anvisa, a investigação começou com um "rumor" que foi comunicado na sexta (3) afirmando que quatro atletas argentinos teriam descumprido as restrições sanitárias ao entrar no país.

"O chefe de equipe da seleção argentina, assim como membros da Conmebol e CBF foram notificados sobre a ocorrência, tendo recebido a orientação de que os 4 jogares em questão deveriam permanecer nos seus referidos quartos, não podendo participar do treino na Arena Neo Química, previsto para as 18h30 de sábado", disse a Anvisa.

Publicações relacionadas