Bahia de Feira e Atlético-BA iniciam semifinal do Estadual

Tremendão e Carcará reeditam decisão em duelo equilibrado por vaga na final

Publicado sábado, 26 de março de 2022 às 06:02 h | Atualizado em 25/03/2022, 21:50 | Autor: Celso Lopez
Campeão em 2011, Bahia de Feira vem de dois vices seguidos e busca se reencontrar com a taça
Campeão em 2011, Bahia de Feira vem de dois vices seguidos e busca se reencontrar com a taça -

O jogo de ida das semifinais do Campeonato Baiano de 2022 vai acontecer neste sábado, 26, nada mais é do que a reedição da decisão do ano passado. O Bahia de Feira, que se classificou para o mata-mata quatro vezes nos últimos cinco anos, vai enfrentar o Atlético de Alagoinhas, atual campeão, em busca de revanche, às 16h, na Arena Cajueiro. Por outro lado, o Carcará busca tornar seu adversário um freguês de eliminatórias no mesmo estádio que levantou a taça do estadual.

Dentro dos gramados, o confronto não poderia ser mais equilibrado. Ambas as equipes terminaram com 17 pontos, mas o saldo de gols definiu o time de Alagoinhas na terceira posição, portanto, o Carcará tem a vantagem de decidir as semis em casa. Se há grande igualdade nas quatro linhas, o presidente do Bahia de Feira, Jodilton Souza, analisa que ambas as equipes são as mais constantes também em desempenho e estrutura.

“O diferencial do Bahia de Feira para conquistar esses resultados é exatamente a nossa estrutura. Por exemplo, muitas equipes oscilaram muito. Em um ano, o Juazeirense fez a melhor campanha, mas depois quase caiu. O ano passado o Jacuipense quase cai, mas nessa temporada fez uma campanha melhor. Então quem tem se mantido bem e equilibrado é o Bahia de Feira e o Atlético que nesses últimos dois anos chegou a final e conquistou um título. Então acho que vale muito quando você tem a sua estrutura própria”, comentou Jodilton.

Não só o discurso, mas os números também demonstram o nível de igualdade dos dois clubes. O Tremendão e o Carcará se enfrentaram 21 vezes na história e dessas, a equipe de Feira triunfou em seis oportunidades contra oito de seu adversário, para fechar o retrospecto, os times emparam sete vezes. O mais memorável dos jogos com certeza ocorreu na temporada passada. No próprio Baianão, esses clubes se enfrentaram e, de maneira acirrada, o Atlético de Alagoinhas conquistou seu primeiro estadual ao vencer por 3 a 2 fora de casa.

Inclusive, essa tem sido uma sina do Bahia de Feira. Apesar de recentemente ter levado a melhor na fase de grupos, assim como ocorreu na vitória por 1 a 0 nessa temporada, o Atlético tem tido um melhor desempenho quando se trata das eliminatórias. Foi assim na Copa Bahia, em 2010, e no Campeonato Baiano do ano passado, os únicos dois mata-mata que essas equipes disputaram.

Atual campeão, Atlético vem bem também em 2021, tendo ido às quartas de final do Nordestão
Atual campeão, Atlético vem bem também em 2021, tendo ido às quartas de final do Nordestão |  Foto: Mr. Fotografia | Atlético de Alagoinhas
 

O outro lado da moeda

Assim como Jodilton, Agnaldo Liz, treinador do Atlético de Alagoinhas, deu importância ao processo e ao passo a passo da competição. Questionado sobre um possível bicampeonato, o treinador, afirmou a dificuldade dos jogos contra o Tremendão e comentou a forma de pensamento da equipe.

“O que estávamos pensando na competição era chegar na fase de classificação e o nosso objetivo, antes de qualquer coisa, é trabalhar para passar para a fase seguinte, para decidir o título. Então não adianta eu estar pensando em ser campeão ou bicampeão se no meio do caminho tem dois jogos difíceis contra o Bahia de Feira. Eu posso falar alguma coisa depois quando chegarmos na final, trabalhar para enfrentar os adversários possíveis, o Barcelona ou o Jacuipense. Então o meu pensamento, o que vou tentar pôr na cabeça dos atletas e o que o torcedor tem que entender é que não tem bicampeonato. Ainda temos dois jogos de classificação para a grande final e é nisso que estamos pensando”.

Com boa campanha, o Tremendão promete chegar forte para a fase final. Nos últimos três jogos, foram dois triunfos e somente uma derrota contra o Rubro-Negro da capital na última rodada. Contudo, a equipe já chegou nessa partida classificado, por isso adotou uma estratégia um pouco mais defensiva.

Do outro lado, o Carcará não brincou em serviço. Embalado, as últimas três partidas deram 9 pontos à equipe que triunfou todas as vezes. Bom ressaltar que contra adversários difíceis. Nas duas primeiras oportunidades, fez valer o fator casa e ganhou de Bahia e Juazeirense. Para fechar a primeira fase, o Atlético ainda bateu o líder Jacuipense, fora de casa, em uma virada história de 0 a 2 para 3 a 2 e gol aos 44” do segundo tempo.

Para o duelo, a venda de ingressos já está disponibilizada desde quinta-feira. A diretoria decidiu fazer um valor promocional de R$ 20 para os ingressos. Eles serão vendidos na bilheteria da Arena Cajueiro e o horário de funcionamento é das 8h30 às 17h30. Sobre o regulamento, em caso de empate, a vaga para a decisão será decidida nos pênaltis.

Para finalizar, Jodilton e Agnaldo definiram os motivos essenciais para cada um de seus clubes estarem nas semifinais.

“Eu acredito que toda a estrutura proporcionada e a paciência da torcida foram fundamentais para a classificação”, disse o presidente do Tremendão.

“O torcedor está abraçando muito mais e vendo o sacrifício do elenco. No segundo jogo, tenho certeza que o torcedor vai nos ajudar”, comentou o técnico do Carcará.

Bahia de Feira x Atlético de Alagoinhas - Semifinal

Local: Arena Cajueiro, em Feira de Santana (BA)

Quando: Sábado, 26, às 16h

Árbitro: Marielson Alves da Silva

Assistentes: Alessandro Álvaro Rocha de Matos Luanderson Lima dos Santos

 Bahia de Feira - Adilson; Wellisson, Ricardo, Marcelo e Alex Cazumba; Victor Salvador, Diones, Bruninho e Zé Oliveira; Deon e Caíque. T: Flávio Araújo.

Atlético de Alagoinhas - Fábio; Edson, Iran, Bremmer e Matheus; Lucas, Dionísio, Jerry e Miller; Cesinha e Thiaguinho. T: Agnaldo Liz.

Publicações relacionadas