adblock ativo

Botafogo enfrenta o Vitória em crise após 4 dispensas

Publicado sábado, 04 de outubro de 2014 às 09:00 h | Atualizado em 19/11/2021, 06:29 | Autor: Sílvio Barsetti | Estadão Conteúdo
adblock ativo

Com a vitória do Palmeiras sobre a Chapecoense na última quinta-feira, o Botafogo voltou para a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. E em menos de 24 horas a situação no clube piorou acentuadamente. Em crise também por causa dos três meses de atraso nos salários e de sete meses nos direitos de TV, o clube viveu uma sexta-feira de ruptura. O presidente alvinegro, Maurício Assumpção, anunciou a dispensa de quatro titulares do time: o atacante Emerson, o zagueiro Bolívar e os laterais Edilson e Julio Cesar.

O ambiente no clube se deteriorou e pode se agravar ainda mais neste sábado com o jogo contra o Vitória, às 16h20, no estádio Barradão, em Salvador, pela 26.ª rodada. Muito contrariado com a decisão da diretoria, o técnico Vagner Mancini pediu demissão, mas Maurício Assumpção não concordou e o convenceu e dirigir o time na partida. O confronto reunirá dois adversários diretos contra o rebaixamento.

"Todos os contratos estão rescindidos. Vinha amadurecendo a ideia e na quinta-feira comuniquei a algumas pessoas próximas que tomaria essa decisão. No fim do dia, liguei para o Wilson Gottardo (gerente de futebol) e falei que não era uma ingerência, mas que era uma decisão do presidente, que eu estava está tomando essa medida", disse o presidente, durante entrevista coletiva. "Os jogadores já sabiam de tudo desde a quinta-feira", acrescentou.

Os quatro atletas, porém, estiveram na manhã desta sexta no Engenhão, prontos para o treinamento. Os demais lhes prestaram solidariedade e o abatimento grupo ficou visível. Na entrevista, Maurício Assumpção não deixou claro o motivo do afastamento do quarteto, embora tenha dito que uma das razões seria "a parte técnica de determinados jogadores que não são condizentes com os discursos". Ele assumiu a responsabilidade por uma eventual queda do Botafogo para a Série B. "Eu sou o único responsável por um possível rebaixamento.

Não tenham dúvida".

Por meio de seu perfil em uma rede social, Edilson se disse "inconformado" com a decisão e desejou sorte aos colegas que ficaram no clube. O empresário de Emerson e Julio Cesar, Reinaldo Pitta, criticou bastante Maurício Assumpção e afirmou que não havia nem como conversar com quem deixa salários atrasados de jogadores por tantos meses.

No início da noite, quando a equipe estava a caminho de Salvador, torcedores começaram a se reunir em frente à sede do clube, em General Severiano, no bairro de Botafogo, na zona sul do Rio. Estavam revoltados e prometeram montar acampamento no local a fim de pressionar Maurício Assumpção. Querem que ele volte atrás na demissão dos quatro jogadores, os quais se reuniram na casa de Emerson, na Barra da Tijuca, na zona oeste.

adblock ativo

Publicações relacionadas