Brasil empata fora com Equador, que fica mais perto da Copa | A TARDE
Atarde > Esportes

Brasil empata fora com Equador, que fica mais perto da Copa

A partida ficou marcada por enormes polêmicas de arbitragem: expulsões e uso do VAR

Publicado quinta-feira, 27 de janeiro de 2022 às 20:31 h | Atualizado em 27/01/2022, 23:03 | Autor: AFP

O Brasil empatou em 1 a 1 com o Equador nesta quinta-feira, 27, em um duelo acirrado disputado em Quito que abriu a décima quinta rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo do Catar-2022.

 

ge
 

Na altitude da capital equatoriana, a 2.850 metros, a seleção canarinha abriu o placar com um gol do capitão Casemiro, que empurrou a bola para as redes aos seis minutos em uma disputa na área tricolor após uma bola mal afastada pelo goleiro Alexandre Domínguez depois de um escanteio cobrado por Philippe Coutinho. 

A seleção anfitriã, que pediu dois pênaltis que acabaram sendo anulados pelo árbitro colombiano Wilmar Roldán, empatou aos 75 com uma cabeçada de Félix Torres após um escanteio cobrado por Gonzalo Plata.

O empate consolida o Equador no terceiro lugar com 24 pontos e o deixa perto da vaga para a Copa do Mundo, que poderá ser alcançada já na próxima terça-feira se derrotar o Peru em Lima. 

O Brasil, já classificado para o Mundial do Catar-2022, segue liderando as Eliminatórias com 36 pontos e invicto.

O Equador teve que atuar com dez jogadores a partir dos 16 minutos devido à expulsão de Domínguez, que cometeu uma falta sobre o atacante Matheus Cunha na entrada da grande área e com risco de pênalti. 

Seu técnico, o argentino Gustavo Alfaro, sacrificou o volante Alan Franco para a entrada do goleiro Hernán Galíndez, tentando resolver a situação em um momento em que a seleção pentacampeã dominava no estádio Rodrigo Paz, que recebeu o jogo com 50% da capacidade máxima de 42.000 espectadores devido à pandemia. 

Felizmente para os donos da casa, o Brasil também sofreu a expulsão, aos 20 minutos, de Emerson Royal, que recebeu o segundo cartão amarelo por uma falta violenta sobre Michael Estrada em uma dividida.

Jogo duro

O VAR salvou o goleiro Alisson, que inicialmente recebeu um cartão vermelho, mas acabou ficando com o amarelo por atingir o artilheiro equatoriano Enner Valencia aos 26 (após acertar a bola). 

'El Supermán' Valencia desperdiçou um gol logo aos dois minutos, quando errou a definição com uma cabeçada em meio ao ímpeto da equipe equatoriana, que tentou surpreender desde o apito inicial para conquistar três pontos de ouro que praticamente o colocariam no Catar. 

Mesmo sem o lesionado Neymar, artilheiro da Seleção com 7 gols (dois a menos que o boliviano Marcelo Moreno, que lidera a artilharia), o Brasil assumiu a posse da bola em uma partida bastante disputada, na qual o juiz - cujo desempenho foi criticado pelos equatorianos - também mostrou cartões amarelos aos brasileiros Raphinha e Éder Militão, além de Valencia e Moisés Caicedo, ambos do Equador. 

"O árbitro passou mais tempo fora, no VAR, do que em campo. Perdemos muito tempo sem jogar", disse o meia equatoriano Plata ao questionar a atuação do colombiano Roldán. 

O Brasil deu mais chutes diretos na direção do gol do Equador, que no jogo de ida havia perdido por 2 a 0 em Porto Alegre em junho passado. 

A jovem equipe de Alfaro, que esperava vencer o Brasil "em grande estilo" para obter a vaga na Copa do Catar-2022, lutou não apenas para empatar ao avançar com velocidade pelo meio do campo e ameaçando insistentemente a meta de Alisson.


Equador 1x1 Brasil - 15ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Catar-2022

Estádio: La Casa Blanca (Quito)

Árbitro: Wilmar Roldán (COL)

Gols: Equador: Félix Torres (75); Brasil: Casemiro (6)

Cartões amarelos: Equador: Enner Valencia (70), Caicedo (78); Brasil: Alisson (31), Rafinha (42), Militão (45+2)

Cartões vermelhos:: Equador: Alexander Domínguez (16); Brasil: Emerson Aparecido (20)

Equador - Alexander Domínguez - Angelo Preciado (Romario Caicedo, 66), Félix Torres, Piero Hincapié, Pervis Estupiñán - Franco Palma (Hernán Galíndez, 18), Moisés Caicedo (Sebastián Méndez, 85), Carlos Gruezo (Ayrton Preciado, 66), Gonzalo Plata - Michael Estrada (Michael Alexander Carcelen, 85), Enner Valencia. Técnico: Gustavo Alfaro.

Brasil - Alisson - Emerson Aparecido, Eder Militão, Thiago Silva, Alex Sandro - Fred, Philippe Coutinho (Dani Alves, 32), Casemiro - Rafinha (Antony, 63), Matheus Cunha (Gabigol, 78), Vinícius Júnior (Gabriel Jesus, 63). Técnico: Tite.

Publicações relacionadas

MAIS LIDAS