Caboclo comprou jatinho de R$ 71 milhões no dia em que foi denunciado

Publicado sexta-feira, 11 de junho de 2021 às 17:39 h | Atualizado em 11/06/2021, 17:47 | Autor: Da Redação

Dias antes de ser afastado da presidência da CBF, Rogério Caboclo comprou um jatinho para a entidade à vista no valor de R$ 71 milhões. O negócio foi fechado na última sexta-feira, mesmo dia em que uma funcionária da entidade denunciou o dirigente por assédio moral e sexual. Caboclo está fora do cargo desde domingo, 6.

A nova cúpula da confederação alega que não havia sido consultada e agora tenta reverter a aquisição, por considerá-la desnecessária. O processo, no entanto, é complexo. A avaliação de que o negócio pegaria mal com clubes. A CBF destinou bem menos dinheiro para auxílio de times durante a pandemia. Em maio, já acossado por oposição interna e externa, Caboclo liberou R$ 19 milhões em dinheiro para clubes das Série C e D e para federações.

A CBF tinha R$ 873 milhões em caixa no final de 2020. Ou seja, Caboclo pretendia gastar 8% do dinheiro disponível em um avião novo, é quase o quádruplo da ajuda dada a clubes e federações.

Se isso não for possível, a CBF deve revender o jato Legacy com 16 lugares. A entidade já possui uma aeronave Citation com 12 lugares, em bom estado.

Publicações relacionadas