adblock ativo

Candidato à Fifa, sul-coreano volta a atacar Blatter: 'Hipócrita e mentiroso'

Publicado quarta-feira, 07 de outubro de 2015 às 11:24 h | Atualizado em 07/10/2015, 17:52 | Autor: Estadão Conteúdo
Chung Mong-Joon
Chung Mong-Joon -
adblock ativo

Candidato à presidência da Fifa, o sul-coreano Chung Mong-Joon chamou Joseph Blatter de "hipócrita e mentiroso", nesta quarta-feira, 7, e disse que planeja processar o atual comandante da entidade em um valor de pelo menos US$ 100 milhões a serem restituídos para a associação.

Blatter, de 79 anos, está sendo investigado pelas autoridades suíças por má gestão financeira da Fifa. Ele nega qualquer irregularidade e garante que não vai deixar o cargo antes da eleição marcada para fevereiro de 2016. Mas Chung disse que o dirigente deve pagar pelos danos provocado em uma carreira de 40 anos na entidade, sendo os últimos 17 como presidente.

"O senhor Blatter é um hipócrita e mentiroso", disse Chung, que foi membro do Comitê Executivo da Fifa até 2011, durante discurso em Londres. "Eu pretendo processar o senhor Blatter por seus desfalques".

Chung disse que sua ação judicial seria apresentada em tribunais suíços, pedindo o reembolso de qualquer dano provocado à Fifa. "O meu entendimento é que a quantidade de dinheiro que se pode cobrar do presidente Blatter é proporcional à quantidade de danos que infligiu à Fifa", disse.

Entre esses danos, Chung destacou prejuízo de US$ 90 milhões em 2007, provocado por processo da antiga patrocinadora Mastercard por não honrar acordos contratuais ao cancelar acordo para assinar com a Visa.

Além disso, o sul-coreano voltou a lembrar o escândalo de suborno envolvendo a hoje falida agência de marketing ISL, que foi parceira da Fifa. De acordo com ele, em 1997, Blatter encontrou uma transferência da ISL para uma conta da Fifa com uma mensagem em anexo dizendo que era um pagamento para João Havelange, então presidente. Blatter, então secretário-geral, devolveu o cheque para a ISL, mas evitou abrir uma investigação sobre o assunto.

"Na Fifa, o dinheiro e o poder cegaram o senhor Blatter aos valores do esporte", acrescentou Chung, que já foi um vice-presidente da entidade. "Absurdamente, o senhor Blatter e seus associados estão sob a ilusão de que eles estão acima dos valores e normas humanas".

Porém, o próprio Chung é alvo de uma investigação do Comitê de Ética da Fifa por violações relacionadas à fracassada tentativa da Coreia do Sul de sediar a Copa do Mundo de 2022 e por criticar abertamente a investigação.

Chung afirma que a ação é uma tentativa da Fifa de minar sua candidatura para substituir Blatter e disse que pode acionar a Justiça para participar da eleição, embora admita não ter certeza se conseguirá o apoio de cinco federações para oficializar sua participação. "Espero que eu consiga. Essa é uma pergunta boa", disse Chung.

adblock ativo

Publicações relacionadas