Ednaldo Rodrigues projeta futuro da CBF e da seleção brasileira

Candidato único, o baiano será eleito presidente da CBF na quarta-feira

Publicado terça-feira, 22 de março de 2022 às 09:45 h | Atualizado em 22/03/2022, 10:28 | Autor: Da Redação
Ednaldo Rodrigues é presidente interino da CBF desde agosto do ano passado
Ednaldo Rodrigues é presidente interino da CBF desde agosto do ano passado -

Futuro novo presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o baiano Ednaldo Rodrigues projetou o futuro da entidade e afirmou que a Seleção Brasileira precisa voltar a estar perto do torcedores. As declarações foram dadas em entrevista aos jornalistas Gabriela Moreira e Martín Fernandez, do ge. 

Entre outros assuntos, o ex-presidente da FBF comentou sobre a criação de uma nova liga dos clubes que possa gerir o Campeonato Brasileiro, a unificação da CBF e maneiras de combater a violência nos estádios, como seus objetivos. 

"Unificar a CBF. Temos que respeitar o contraditório, os clubes, as federações. E ter um pacto de combate à violência nos estádios. Queremos que a Fifa esteja presente nessa discussão, queremos a conscientização das organizadas. Não queremos que seja uma coisa passageira", falou. 

Ednaldo é ex-presidente da Federação Bahiana de Futebol (FBF) e aos 68 anos será eleito presidente da CBF. Ele á candidato único da eleição da entidade que acontece na próxima quarta-feira, 23, e irá assumir um mandato de quatro anos. Seus antecessores foram afastados do cargo por corrupção, como Marco Polo Del Nero, José Maria Marin e Ricardo Teixeira, ou assédio sexual, como é o caso de Rogério Caboclo. 

"O que nós desejamos é ter um futebol brasileiro forte, que seja respeitado não só dentro de campo, mas principalmente fora de campo, com atitudes. Que a sociedade possa, não só brasileira, mas do mundo inteiro ver o Brasil de outra forma. No momento vê de uma forma triste, até repugnante", afirmou.

O atual presidente interino da CBF também comentou a possibilidade do fim dos jogos de times brasileiros em datas Fifa. "Eu não faço nenhuma promessa que eu não possa cumprir. Nós fazemos os conselhos técnicos e os clubes decidem o que é melhor para eles. Também queremos ouvir pessoas que não estão nos clubes, não estão dentro da CBF, e que também têm expertise sobre assuntos de calendário. Essa discussão tem que existir, na CBF e fora da CBF". 

Ednaldo Rodrigues ainda apontou que um dos seus objetivos é reaproximar a seleção brasileira do torcedor. "Existe realmente um afastamento muito grande da seleção brasileira para com o torcedor. Isso em grande parte por conta dos jogos (amistosos) no exterior. Tem um contrato que vence agora em 2022. Queremos a Seleção mais perto do torcedor, também dos patrocinadores e da imprensa". 

Publicações relacionadas