adblock ativo

Após empréstimo, Magno espera ser mais decisivo no Bahia

Publicado quinta-feira, 17 de janeiro de 2013 às 10:20 h | Atualizado em 17/01/2013, 10:20 | Autor: Daniel Dórea
Magno, meia do Bahia
Magno, meia do Bahia -
adblock ativo

O 'novo Ronaldinho Gaúcho'. Em 2009, depois de um belo estadual no Rio Grande do Sul, pelo Brasil de Pelotas, este aposto passou a acompanhar o nome de Magno. A comparação, um tanto exagerada, fez com que o meia fosse engolido pela expectativa da torcida do Vasco, clube pelo qual ele foi contratado naquela época.

Hoje, no Bahia, alguns ainda insistem em misturar o astro do Atlético-MG ao apoiador criado no bairro de Cajazeiras. No entanto, por conta de duas temporadas frustradas, 'Magnaldinho' virou apenas uma forma jocosa de chamá-lo.

História que, em sua terceira chance com o manto tricolor, após disputar - por empréstimo -  a Série B do ano passado pelo Ceará, ele faz questão de mudar. E Magno já vem mostrando postura diferente nos treinos da pré-temporada, nos quais tem sempre jogado como titular. Isso muito por conta dos conselhos do técnico Jorginho, que vem o escalando mais adiantado, quase como atacante.

"O treinador vem cobrando que eu seja mais objetivo, chute mais a gol e entre sempre na área", revela o atleta, que concorda com as exigências do comandante: "Todo mundo tem sempre alguma coisa a melhorar, e eu acho que a falta de objetividade é um defeito meu. No futebol atual, até os volantes estão fazendo gol e eu não faço. Isso tem que mudar!".

Jorginho não quer podar de Magno a habilidade, que é sua principal virtude. Apenas deseja que, após o balanço do corpo e das tranças para efetuar dribles desconcertantes, ele produza para o time. Nas últimas atividades táticas, foram repetidos diversos lances, com apoio dos meias Talisca e Kléberson, que terminaram em conclusões de Magno. E ele se saiu bem.

É bom que o jogador ganhe essa confiança, pois sabe que ainda tem muito a provar para a torcida tricolor. Em 2011, seu primeiro ano no Bahia, foi prejudicado por uma lesão no pé e quase não atuou. No ano seguinte, antes de seguir para o Ceará, viveu boa fase apenas nas primeiras partidas sob o comando do técnico Falcão durante o Campeonato Baiano.

"Tenho muito a dar ainda ao Bahia. Espero que esse ano seja bem diferente os outros que  passei aqui e a torcida possa ter alegria comigo em campo", deseja ele. Ontem, no coletivo promovido por Jorginho, Magno cumpriu a função de entrar na área, porém, nas duas chances claras que teve, desperdiçou. Que tenha melhor sorte sábado, em Pituaçu, contra o Itabaiana, pela estreia do Nordestão.

adblock ativo

Publicações relacionadas