Bahia decide no segundo tempo e vence o Náutico na Fonte Nova

Tricolor encerrou um jejum de quatro jogos sem vencer dentro de casa na competição

Publicado sexta-feira, 29 de julho de 2022 às 20:56 h | Atualizado em 29/07/2022, 21:41 | Autor: Luiz Teles
Todos os gols da partida foram anotados no segundo tempo e em um intervalo de 12 minutos
Todos os gols da partida foram anotados no segundo tempo e em um intervalo de 12 minutos -

Enfim, após cinco jogos sem vencer em casa, o torcedor do Bahia voltou a sorrir na Arena Fonte Nova. Na noite desta sexta-feira, 29, mesmo com um time cheio de desfalques, o Tricolor encerrou o jejum batendo o Náutico por 3 a 0, pela 21ª rodada da Série B. Os gols foram marcados por Ignácio, Matheus Davó e Everton, todos no 2º tempo.

Com o resultado o Esquadrão foi a 37 pontos na tabela, subindo para a 3ª posição e abrindo sete pontos de vantagem para o Sport, 5º colocado e primeiro time fora do G-4. A situação, contudo, pode se alterar com os jogos que complementam a rodada. Já o Náutico, segue na penúltima colocação, com apenas 18 pontos.

O elenco agora ganha dois dias de folga e se reapresenta na segunda-feira no CT Evaristo de Macedo para iniciar os treinos para enfrentar o CSA, no próximo sábado, às 16h30, novamente na Arena Fonte Nova.

Esquadrão foi a 37 pontos na tabela, subindo para a 3ª posição e abrindo sete pontos de vantagem para o Sport
Esquadrão foi a 37 pontos na tabela, subindo para a 3ª posição e abrindo sete pontos de vantagem para o Sport |  Foto: Uendel Galter | Ag. A TARDE
 

O jogo

O Bahia veio para o jogo pressionado pela marca de cinco partidas consecutivas sem vencer em casa. Além disso, o time foi a campo com um caminhão de desfalques e mudanças. Além do suspenso Mugni, o técnico Enderson Moreira teve Daniel (amigdalite) e Danilo Fernandes (lesão muscular) vetados de última hora pelo departamento médico. Assim, com Mateus Claus no gol, o treinador abandonou o esquema com três zagueiros, apostando nos volantes Rezende e Emerson Santos, com a surpresa Warley completando o meio-campo. No criticado ataque, Rodallega ganhou a vaga de Davó, enquanto Copete atuou pela primeira vez como titular no lugar de Mugni, formando trio de ataque com Raí.

Só que mesmo com um time remendado, o Tricolor, empurrado pela torcida na Fonte Nova, repetiu no 1º tempo o roteiro de suas partidas anteriores como mandante, pressionando o adversário e perdendo uma enxurrada de chances. Não chegou a ser um massacre, até porque a equipe errava muitas tomadas de decisão no meio-campo, principalmente com Warley, que não produziu quase nada.

Enquanto Claus praticamente assistiu ao jogo, foram quatro as boas chances do Esquadrão. Logo aos 8 minutos, Emerson Santos mandou uma pancada de longe e a bola explodiu no travessão de Lucas Perri. As outras três oportunidades foram de Rodallega. Aos 26, Warley cobrou escanteio e, após um desvio, o colombiano chutou no susto, no segundo pau, por cima do gol. Aos 30, em contra-ataque, ele bateu de fora da área, a bola bateu no defensor e quase entrou no contrapé do goleiro. Aos 32, novamente em um esquinado batido por Warley, ele cabeceou na ponta da pequena área, sobre a meta.

Enderson Moreira enxergou bem os problemas do time e fez duas mudanças para a segunda etapa, sacando Warley e o apagado Raí para as entradas de Jacaré e Davó. Pressionando a saída de bola e quase sem deixar o Náutico se lançar ao ataque, o Bahia passou a rondar a área com mais frequência e perigo. O 1 a 0, contudo, demorou a sair. E ainda houve sofrimento por gol perdido por Jacaré, cara a cara com o goleiro, após ótimo passe de Copete, aos 12. Se os atacantes falhavam, coube a um zagueiro dar fim à agonia da torcida. Jacaré cruzou em falta da intermediária, Rodallega desviou e Ignácio se adiantou ao goleiro para marcar, aos 25.

O Náutico, que já não atuava bem, desorganizou-se e passou a errar mais. Bom para Matheus Davó, que pressionou a defesa do Timbu, roubou a bola no meio-campo e disparou em direção ao gol. Com calma, o atacante driblou Lucas Perri e fez 2 a 0, aos 29. O Esquadrão fechou o marcador com o primeiro gol de Everton pelo time profissional. Aos 38, em excelente passe de Jacaré (um dos melhores em campo), o atacante recebeu •atrás dos zagueiros e, com um leve desvio, fez 3 a 0 e decretou a chegada do fim de semana para a torcida do Tricolor.

Publicações relacionadas