adblock ativo

Bahia empata com o Atlético-GO fora e ganha uma posição na tabela

Publicado segunda-feira, 11 de setembro de 2017 às 19:30 h | Atualizado em 21/01/2021, 00:00 | Autor: Luiz Teles e Redação
Apesar da regularidade, Renê Júnior não conseguiu colaborar no triunfo
Apesar da regularidade, Renê Júnior não conseguiu colaborar no triunfo -
adblock ativo

Um empate sem graça, contra o lanterna do Brasileirão, tem pouco a ser comemorado pela torcida do Bahia, mesmo sendo fora de casa. Nesta segunda-feira, 11, em Goiânia, contra um adversário frágil, o Tricolor mostrou os mesmos problemas dos últimos jogos e ficou apenas no 1 a 1 com o Atlético-GO.

>> Confira a tabela de classificação 

>> Confira os dados estatísticos

De bom é que o pontinho na bagagem para Salvador fez o Esquadrão subir uma casa na tabela de classificação, com 27 pontos, agora na 15ª, à frente do Coritiba no saldo de gols.

A equipe volta a campo no próximo domingo,17, novamente fora de casa, agora contra o Cruzeiro, em Belo Horizonte. Antes disso, retorna a Salvador nesta terça, 12. Nenhum atleta deixou o campo ontem contundido, mas Lucas Fonseca recebeu seu 3º cartão amarelo na competição e está suspenso para enfrentar a Raposa.

O jogo

Assistir ao primeiro tempo do jogo desta segunda foi uma tortura para o torcedor do Bahia, naqueles que devem ter sido os piores 45 minutos iniciais da equipe neste Brasileirão.

Apesar dos 15 dias que teve para trabalhar, a equipe não só deixou de apresentar qualquer evolução em relação à derrota para o Botafogo, como regrediu a um nível de pobreza de futebol em que não conseguia acertar nada na partida. Não funcionaram a marcação por pressão, o contra-ataque, as bolas paradas, o posicionamento defensivo nos cruzamentos à área, as tabelinhas com os pivôs ou as ultrapassagens dos laterais.

E do outro lado, o Atlético-GO nem jogou tanto para dizer que o Tricolor foi anulado. Mais organizado, o lanterna do campeonato criou duas boas chances de marcar. Na primeira, aos 14, Jean fez grande defesa em cabeçada de Gilvan após escanteio. Na segunda, o goleiro do Bahia nada pôde fazer no belo contra-ataque puxado pelo time da casa, concluído por Luiz Fernando após Igor cruzar da direita.

Nova postura

A mudança para o 2º tempo não foi da água para o vinho porque o copo do Tricolor na etapa inicial estava completamente vazio. E o pouco que o time melhorou com a entrada de Vinícius no lugar do apagado Régis foi o suficiente para o Bahia ter uma postura menos reativa e empatar logo aos 9 minutos.

E foi com um golaço! No lance, Zé Rafael fez grande jogada, tabelou com Rodrigão e depois com Mendoza, para sair na cara com Marcos. Com calma, ele driblou o goleiro e mandou para o gol vazio.

Depois do empate, o equilíbrio deu o tom da partida, sem que nenhum dos dois times, contudo, criasse chances claras de gols. Houve boas tentativas do Bahia com Rodrigão, Edigar Júnio – que voltou ao time após meses fora, ao entrar no lugar de Mendoza – e Vinícius, com dois bons chutes de fora da área. Já na defesa, Jean teve uma partida segura nas saídas do gol e só foi ameaçado em lances de falta com o Walter.

No fim, com o Atlético-GO ‘morto’ em campo, faltou um pouco mais de ímpeto para o Bahia virar. O resultado de 1 a 1, contudo, foi justo para o pouco que as duas equipes apresentaram em Goiânia.

Atlético-GO 1 x 1 Bahia - 23ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A
 
Local: Estádio Olímpico, em Goiânia (GO)
Quando: Segunda-feira, 11, às 20h
Gols: Luiz Fernando, aos 32’ do 1º T (A); e Zé Rafael, aos 9’ do 2º T (B)
 
Público: 2.846 pagantes 
Renda: R$ 58.115,00
 
Árbitro: Thiago Duarte Peixoto (SP)
Assistentes: Herman Brumel Vani (SP) e Vitor C. Metestaine (SP)
Cartões amarelos: André Castro (A); Lucas Fonseca e Juninho Capixaba (B)
 
Atlético-GO - Marcos; Jonathan, Gilvan, William Alves e Bruno Pacheco; André Castro, Igor (Ronaldo), Andrigo (Niltinho) e Jorginho; Luiz Fernando (Alison) e Walter. Técnico: Paulo Sanches  
 
Bahia - Jean; Eduardo, Rodrigo Becão, Lucas Fonseca e Juninho Capixaba; Edson, Renê Júnior e Régis (Vinicius); Zé Rafael, Mendoza (Edigar Junio) e Rodrigão (Allione). Técnico: Preto Casagrande
 
adblock ativo

Publicações relacionadas