Bahia encerra tabu contra o Guarani e segue firme no G-4

Tricolor venceu no Brinco de Ouro pela primeira vez

Publicado sábado, 16 de julho de 2022 às 20:48 h | Atualizado em 16/07/2022, 20:48 | Autor: Daniel Dorea
Tricolor chegou aos 33 pontos
Tricolor chegou aos 33 pontos -

É até difícil de entender o motivo, mas o fato é que o Bahia nunca tinha vencido o Guarani fora de casa, numa história com 48 anos de duração – o primeiro duelo foi em 1974 e o último tinha sido em 2009. Ontem, dia 16 de julho de 2022, ocorreu o 20º confronto em Campinas e o incômodo tabu se encerrou com o triunfo tricolor por 2 a 0 no Brinco de Ouro da Princesa.

Os gols de Ignácio e Raí fizeram o Bahia se manter no terceiro lugar – tinha sido momentaneamente ultrapassado pelo Grêmio – e abrir sete pontos de distância para o Sport, quinto colocado e primeiro dos que não sobem à elite.

O próximo desafio do Esquadrão é já na terça-feira, quando recebe o CRB voltando à Fonte  após mais de duas semanas.

Início forte

O Bahia começou o jogo muito disposto a quebrar essa escrita que não condiz com a história dos dois clubes. E logo mostrou por que luta contra o acesso, enquanto o Bugre exibiu suas deficiências de rebaixável. Aos cinco minutos, Patrick descolou ótimo  lançamento para Davó, que na hora de driblar o goleiro esticou demais a bola e perdeu grande chance.

Com a manutenção do sistema de três zagueiros aprovado no duelo do meio de semana, contra o Athletico, pela Copa do Brasil, e um domínio territorial indiscutível, o Tricolor se colocava cada vez mais perto do gol de abertura do placar. Aos 10 minutos, Daniel lançou André, que na hora do chute foi travado pela marcação.

Um minuto depois, a blitz foi tão intensa que não teve escapatória para os anfitriões. Daniel fez os torcedores locais arrancarem os cabelos em duas perfeitas cobranças de escanteio consecutivas. Na primeira, Gabriel Xavier parou na defesa salvadora de Kozlinski. Em seguida, a rede foi balançada pelo zagueiro Ignácio em cabeçada precisa.

Vantagem que poderia dar tranquilidade ao Bahia no jogo. Mas, em vez disso, o time confundiu calma com apatia, e quase não voltou a ameaçar o gol adversário. Do outro lado, o Bugre, lutando contra suas limitações, ficou bem perto do empate. Aos 14, após sua primeira boa trama de ataque, carimbou a trave em finalização de Eduardo Person.

Na continuação do lance, o Tricolor poderia ter ampliado no contra-ataque puxado por Davó que Daniel completou para fora. Entretanto, depois disso só deu Guarani mesmo. Passado um miolo de jogo morno, a equipe da casa despertou aos 29 minutos. Silas soltou um petardo em cobrança de falta de longe e deu um susto em Danilo Fernandes, que fez uma defesaça aos 44, quando Mugni desviou contra a própria  meta uma cobrança de escanteio.

No início do segundo tempo, a passividade do Esquadrão continuou. Tanto que o gol de empate do Bugre saiu logo aos seis minutos, após cobrança de falta ensaiada. A bola foi lançada à área, Derlan ajeitou de cabeça e Nicolas Careca, que havia acabado de entrar, estufou a rede em chutaço de primeira. Por centímetros, porém, o Bahia ganhou uma nova chance de acordar do sono profundo. O gol acabou anulado por impedimento sutil de Derlan.

A decepção afetou fortemente o Guarani, que deixou esfriar seu ímpeto inicial, e aí sim o Esquadrão passou a administrar o resultado de maneira mais competente. Aos 26, quase anotou o segundo. Após roubada de bola no ataque, Daniel tocou para Davó, que chutou da entrada da área. Kozlinski espalmou.

Três minutos depois, o Brugre se mostrou ainda vivo. Lançado nas costas da defesa, Rodrigo Andrade só parou na boa saída da meta de Danilo.

Só que aos 32 o Bahia matou a parada com uma jogada muito inteligente. Mugni tabelou com Djalma, invadiu a área pela esquerda e deixou Raí sem goleiro para definir o importante triunfo tricolor.

Publicações relacionadas